Notícias

Com avanço de 0,43%, Ibovespa tem novo recorde histórico no fechamento e concretiza alta semanal

Ibovespa subiu a nível recorde após divulgação do PCE (um dos principais índices de inflação dos EUA); dólar cai no dia e na semana

Ibovespa
O Ibovespa é o principal índice de ações da B3, a Bolsa de Valores do Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

A bolsa de valores hoje fechou em alta e renovou máxima nominal histórica no intraday e no fechamento. Nesta sexta-feira (22), os investidores repercutiram o PCE, um dos índices de inflação utilizados pelo banco central americano (Fed) para calibrar a política juros, além dos juros futuros e rendimentos das Treasuries nos EUA.

Assim, o Ibovespa fechou em alta de 0,43%, a 132.752,93 pontos, o maior patamar de fechamento da história. Na máxima desta sexta, o Ibovespa bateu 133.035,32 pontos, também o maior nível intradiário da história da bolsa.

Na semana, o Ibovespa avançou cerca de 2%, enquanto no ano o índice subiu perto de 21%.

Semana de quebra de recordes do Ibovespa

Anteriormente, na sessão da quinta-feira (21), o principal índice da bolsa de valores já havia renovado seu recorde histórico ao subir para 132.182,01 pontos no fechamento.

O índice havia registrado, no pregão da quarta-feira (20), quebra de recorde intradiário, quando subiu a 132.340,75 pontos.

Dólar hoje

Anteriormente, nesta sexta, a moeda norte-americana havia fechado em queda na relação com o real. O dólar desceu 0,53%, a R$ 4,8616, ao final do pregão.

Na semana, a divisa desceu 1,6%, com queda anual de mais de 8%.

Ações em alta na bolsa de valores hoje

Veja as cinco ações que tiveram as maiores altas no pregão do dia entre todos os papéis da bolsa com alto volume.

  • Enauta (ENAT3) +11,84%
  • Mitre (MTRE3) +7,52%
  • Banco Pine (PINE4) +6,51%
  • Springs (SGPS3) +6,25%
  • Embpar (EPAR3) +5,78%

Ações em baixa

Confira os papéis com as piores quedas nesta sexta.

  • Recrusul (RCSL3) -21,54%          
  • Sequoia (SEQL3) -7,50%             
  • IRB (IRBR3) -6,24%        
  • Mobly (MBLY3) -4,89%
  • Azevedo e Travassos (AZEV4) -4,74%

Os rankings contemplam ações que movimentaram mais de R$ 1 milhão na sessão, entre papéis que compõem ou não o Ibovespa e outros índices. As cotações foram apuradas depois do fechamento, às 18h07, mas podem ter atualizações.

Bolsas mundiais: Nova York

As bolsas de Nova York fecharam na maioria em alta nesta sexta, seguindo o apelidado “Rali do Papai Noel”, com um volume de negociações reduzido pela chegada do final do ano. A divulgação de indicadores da economia americana hoje deu forças aos papéis, que avançaram a partir da visão de que a leitura de dados de inflação nos Estados Unidos aumenta as perspectivas para cortes de juros pelo Federal Reserve  (Fed).

O índice Dow Jones caiu 0,05%, aos 37.385,97 pontos. O S&P 500 teve alta de 0,17%, para 4.754,63 pontos e o Nasdaq avançou 0,19%, aos 14.992,97 pontos. Na semana, houve subida de 0,22%, 0,75% e 1,21%, respectivamente. O S&P 500 obteve ganhos pela oitava semana consecutiva, a mais longa sequência de avanços desde novembro de 2017.

Europa

As bolsas da Europa fecharam na maioria em alta nesta sexta, encerrando a última sessão antes do feriado de Natal com impulso das perspectivas para a política monetária no próximo ano.

A divulgação de indicadores da economia norte-americana reforçou a visão de cortes de juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em 2024, o que deu ânimo a ativos de risco.

O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,14%, a 477,60 pontos.

Em Londres, o FTSE 100 subiu 0,04%, a 7.697,51 pontos. Na Espanha, o PIB cresceu 0,3% no terceiro trimestre ante o anterior e 1,8% no confronto anual. Neste ambiente, o índice Ibex 35, de Madri, subiu 0,08%, a 10.111,90 pontos.

Em Frankfurt, o DAX subiu 0,11%, a 16.706,18 pontos. Em Milão, o FTSE MIB avançou 0,26%, a 30.353,29 pontos. Já em Lisboa, o PSI 20 teve alta de 0,53%, a 6.422,27 pontos, na máxima do dia. Por outro lado, o CAC 40 caiu 0,03% em Paris, a 7.568,82 pontos.

PCE mexeu com a bolsa de valores hoje

O índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) dos EUA recuou 0,1% em novembro ante outubro, informou nesta sexta-feira o Departamento do Comércio do país.

Assim, na comparação anual, a alta foi de 2,6%, desacelerando em relação ao aumento anual de 3,0% no mês anterior, e menor do que a previsão de analistas consultados pela FactSet, que apostavam em alta de 2,8%.

Por outro lado, o núcleo do PCE, que exclui itens voláteis como alimentos e energia, teve crescimento de 0,1% no mês passado ante o anterior. O crescimento anual recuou a 3,2% no mesmo período, contra 3,5% no mês passado e abaixo da projeção de 3,4%.

O PCE é a medida de inflação preferida pelo Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano).

Confiança do consumidor impacta Ibovespa

O Índice de Confiança do Consumidor (ICC) cresceu 0,7 ponto em dezembro, a 93,7 pontos, na série com ajuste sazonal, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV). Em novembro, o indicador havia atingido 93,0 pontos. Com o resultado de hoje, a média móvel trimestral do índice subiu 1,1 ponto.

Nesse sentido, entre os componentes do ICC, o Índice de Situação Atual (ISA) recuou 1,7 ponto, a 80,4 pontos. O Índice de Expectativas (IE) subiu 2,5 pontos, a 103,3 pontos.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias