Notícias

Fed mantém taxa de juros, projeta três cortes em 2024 e anima mercado

Comitê se disse atento à inflação e à expansão da atividade econômica

Brasão do Sistema de Reserva Federal dos EUA
Símbolo do Federal Reserve System na Sala de Imprensa do FED, nos EUA. Fonte: Adobe Stock.

O Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) do Federal Reserve (Fed) manteve a taxa dos Fed Funds em 5,25% a 5,50% ao ano, em comunicado divulgado nesta quarta-feira (20/03). A decisão foi unânime. Logo após a divulgação do comunicado, os mercados de ações ganharam força nos Estados Unidos. No Brasil, o Ibovespa acompanhou esse movimento, intensificou o movimento de alta e bateu máximas.  

A decisão era o principal fato econômico da semana e concentrava as atenções dos mercados em todo o mundo. Apesar de a manutenção dos juros já ser amplamente esperada, investidores estão à procura de sinais que indiquem os próximos passos da política monetária da maior economia do mundo.

No comunicado, o Fed apontou que as chances de se atingir as metas de emprego e inflação estão se equilibrando melhor e diz que dados recentes sugerem que a atividade econômica dos Estados Unidos tem se expandindo em ritmo sólido. Os ganhos do trabalho permaneceram fortes e a taxa de desemprego permaneceu baixa. A inflação diminuiu, mas permanece elevada.

No entanto, as perspectivas econômicas são incertas e o comitê continua muito atento aos riscos de inflação, diz o comunicado.

Em coletiva após a divulgação da decisão, o presidente do Fed, Jerome Powell, reforçou as mensagens. “A inflação ainda é muito elevada e estamos vendo progressos em seu processo de desaceleração. Não está garantido [progresso em andamento] e o caminho a seguir é incerto”, disse.

Segundo ele, o Fed segue focado em seu duplo mandato para emprego e inflação, focado em retornar o índice de preços à meta de 2% ao ano. “Nossa postura tem colocado pressão de baixa na atividade e na inflação”, acrescentou.

Projeção de inflação se mantém para 2024, mas sobe para 2025

A mediana da projeções dos dirigentes do Fed para a inflação ao consumidor medida pelo índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) ficou inalterada para 2024 em 2,4%, mas subiu para 2025, de 2,1% para 2,2%. Para 2026 e no longo prazo não houve alteração e foi mantida a projeção de 2,0%.

A mediana das projeções para o núcleo do PCE (que exclui itens voláteis, como alimentos e energia) em 2024 subiu de 2,4% para 2,6%. A mediana de previsão para 2025 seguiu em 2,2%. Para 2026, se manteve em 2,0%. Não há projeções para o núcleo do PCE no longo prazo.

Dirigentes ainda esperam juros em 4,6% ao final do ano

A mediana das projeções dos dirigentes para a taxa básica de juros também ficou estável para 2024, em 4,6%. Considerando um ritmo de 25 pontos-base por ajuste, esse nível implicaria em três cortes de juros ao longo deste ano.

Por outro lado, as medianas para 2025 e 2026 subiram. Para 2025, a mediana avançou de 3,6% para 3,9% e, em 2026, de 2,9% para 3,1%. No longo prazo, aumentou de 2,5% para 2,6%.

*Com informações da Agência Estado

Entenda como funciona a bolsa de valores. Confira este curso gratuito disponibilizado pelo Hub de Educação Financeira da B3

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias