Notícias

Inflação ao consumidor nos EUA alta mantém pressão sobre os juros

Gastos com consumo, índice importante para definir os passos da política monetária americana, avançaram 0,4% em setembro. Essa é a maior taxa em quatro meses

Notas de dólares sobrepostas. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
Nos EUA, a inflação e a taxa básica de juros preocupam tanto quanto no Brasil. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

As pressões inflacionárias nos Estados Unidos seguem persistentes, apesar dos juros no maior patamar em 22 anos. É o que revela o índice de preços de gastos com consumo, um dos indicadores mais importantes para as decisões de política monetária do Federal Reserve.

O PCE ficou em 0,4% em setembro, estável na comparação com agosto, mas avançou em relação aos 0,2% de julho. Esse é o maior valor em quatro meses, segundo os dados divulgados nesta sexta-feira, 27/10, Departamento de Comércio americano.

Na comparação anual, o PCE de setembro ficou em 3,4%, estável em relação aos dados de agosto e julho. O resultado veio em linha com a previsão do mercado financeiro. Já o núcleo do índice, que exclui componentes voláteis como alimentos e energia, subiu 0,3% no mês passado.

Os preços dos alimentos avançaram 2,7%, enquanto os de energia diminuíram 0,1% no mês. O aumento da demanda das famílias também foi sentido pelo Produto Interno Bruto americano que cresceu a uma taxa anualizada de 4,9% no 3º trimestre.

Apesar da expectativa que esses gastos percam força nos próximos três meses, autoridades do Fed alertam que números mais fortes podem levar a um maior endurecimento da política monetária.

“Os dados sugerem que o Fed precisa permanecer alerta para impressões de uma inflação um pouco mais alta antes do final do ano. Na verdade, parece que há alguns riscos positivos no quarto trimestre”, afirmou o presidente da Inflation Insights LLC, Omair Sharif, em nota.

Na próxima quarta-feira, 01/11, os membros do Banco Central americano se reúne para decidir a política monetária para os próximos 45 dias. De acordo com analistas, mesmo com o repique nos preços, o Fed deve manter a taxa no intervalo entre 5,25% e 5,50%.

Serviços também pressiona

Os gastos dos serviços também pressionam a inflação dos Estados Unidos e preocupam o Federal Reserve. Os preços aumentaram 0,5% em setembro, maior valor desde o primeiro mês do ano.

Excluindo habitação e energia, a inflação dos serviços acelerou para 0,4%, ante 0,1% no mês anterior. Esses gastos foram impulsionados por viagens internacionais e serviços de transporte.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias