Notícias

Inflação nos EUA desacelera e pode indicar fim das altas de juros

Índice de preços registrou o menor valor em dois anos e oferece esperanças ao mercado de que o Federal Reserve, em breve, possa encerrar o ciclo de aperto monetário

Dólar. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O indicador mostrou uma desaceleração em relação ao resultado do mês anterior. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

A inflação dos Estados Unidos, indicador mais esperado pelo mercado financeiro nesta quarta-feira, 12/07, desacelerou. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) nos Estados Unidos acumulou uma alta anual de 3% em junho. Esse é o menor valor registrado desde março de 2021, segundo o Departamento do Trabalho americano.

O indicador mostra uma forte desaceleração em relação aos 4,9% registrados em abril e os 4% em maio. A meta de inflação perseguida pelo Banco Central dos Estados Unidos é de 2%.

A perda de ritmo na comparação anual trouxe mais esperanças de que o Federal Reserve (Fed), o Banco Central americano, possa em breve encerrar os aumentos na sua taxa básica de juros – os mais agressivos em décadas.

Núcleo de inflação também desacelera

Ao excluir itens mais voláteis, como alimentos e energia, que compõem o chamado núcleo de inflação, o índice de preços avançou 4,8% em junho, após um crescimento de 5,3% em maio. Esse também é o menor valor desde 2021.

Importante explicar que esse dado é o mais observado pelos membros do Fed para definir a política monetária. Isso porque ele indica tendências de preços.

Expectativas sobre os juros

Para o economista da XP, Francisco Nobre, diante desse resultado o Fed não deveria aumentar mais os juros no país. No entanto, os dados de hoje têm pouco potencial para mudar a opinião dos membros do FOMC [comitê de política monetária dos EUA] sobre a decisão de julho, aponta. “Portanto, esperamos que o Fed entregue o aumento 0,25 ponto percentual que eles têm sinalizado fortemente”.

Apesar da decisão para a próxima reunião do Fed, no dia 27 de julho, já estar praticamente tomada, o analista da XP acredita que o resultado de hoje será relevante para a política monetária no médio prazo. “O indicador diminui a chance do Fed aumentar ainda mais os juros após a decisão de julho. O nosso cenário base considera que essa alta será a última do ciclo atual, que levará os juros para 5,5%”.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias