Mercado

Ibovespa fecha em alta de 0,17% com recuperação da Vale; dólar passa de R$ 5

Investidores operaram com cautela vislumbrando a Super Quarta, com decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos

Olhando bolsa de valores
Olhando bolsa de valores

A Bolsa de Valores fechou em ligeira alta de 0,17%, aos 126.954,18 pontos, nesta segunda-feira (18/03). O Ibovespa começou o dia em alta, reverteu para queda e fechou o dia praticamente em estabilidade, com quedas em Petrobras (PETR4) e recuperação das ações da Vale (VALE3). Investidores operaram com cautela vislumbrando a Super Quarta, com decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos.

Por outro lado, o dólar superou o patamar de R$ 5. Na máxima do pregão, a moeda norte-americana chegou a bater os R$ 5,03, mas perdeu força e fechou a R$ 5,0259.

Ibovespa

O Ibovespa operou volátil à medida em que investidores se preparam para uma semana de decisões importantes e que afetam seus investimentos.

Na próxima quarta-feira (20), tanto o Banco Central brasileiro quanto o Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos), determinam o rumo da taxa de juros nas respectivas economias.

Enquanto o mercado espera um corte de 0,50 ponto percentual na Selic  e uma manutenção na atual taxa de juros dos Estados Unidos, há temores de que o Fed seja mais duro – ou hawkish – no comunicado da decisão. A alta do dólar, não à toa, representa esse temor.

Por um lado, ações como Vale (VALE3) e Klabin (KLBN11) se beneficiam de um câmbio pressionado, destaca Fabio Louzada, fundador da Eu Me Banco.

A Vale foi o destaque entre ações em alta. O papel se beneficiou de uma recuperação dos preços do minério de ferro no exterior, de mais de 4%. Assim, as ações da mineradora (VALE3) fecharam com ganho de 1,99%. As cotações foram obtidas às 17h53.

Já a Eletrobras foi o destaque negativo no Ibovespa. A preocupação do investidor, diz Alexandre Pletes, head de renda variável da Faz Capital, é com o risco de ingerência política do governo sobre a Petrobras.

As ações da Eletrobras (ELET3;ELET6) também tiveram queda de 3,84% na ON e de -3,18% na PN no mesmo horário.

Por outro lado, a principal alta do índice foi Magazine Luiza (MGLU3). O papel da varejista da família Trajano decolou 8,12%, com o mercado esperançoso por números melhores da empresa no quarto trimestre de 2023.

A principal queda do Ibovespa, contudo, era da MRV (MRVE3). A ação caiu 5,70% após uma revisão do guidance de unidades entregues pela construtora.

“Com isso, outros papéis do setor, como Cyrela ON (CYRE3) e EZTEC ON (EZTC3) caem no Ibovespa”, aponta Louzada.

Decisões de bancos centrais afetarão Ibovespa

Nesta semana, o mercado aguarda decisões de alguns bancos centrais pelo mundo: Japão e União Europeia, além de Brasil e Estados Unidos durante a Super Quarta.

Além das taxas de juros em si, os investidores devem repercutir o tom dos bancos centrais.

A alta da inflação ao consumidor e ao produtor nos Estados Unidos acima do esperado causou mais apreensões no mercado de ativos de risco, dado que isso pode significar um tom mais duro da autoridade monetária norte-americana e juros altos por um tempo mais longo do que o esperado.

Apesar disso, Itaú BBA e o banco Master acreditam que o corte virá em junho, como o projetado anteriormente. Mas a dimensão da redução ainda segue levando dúvidas.

Dólar

O dólar, por outro lado, voltou ao patamar de R$ 5, na maior cotação para a moeda desde novembro de 2022. A moeda norte-americana teve um dia forte contra outras divisas no exterior, destaca João Vitor Freitas, analista da Toro Investimentos.

A moeda norte-americana fechou em alta de 0,56% contra o real brasileiro, cotada a R$ 5,0259

No exterior, o dólar ganhou força contra os principais pares internacionais e de economias importantes. O índice DXY, que compara a moeda dos Estados Unidos contra o euro e o iene, por exemplo, subiu 0,17%, aos 103,61 pontos.

Ações mais valorizadas

Considerando todas as ações de índices da Ibovespa, o melhor desempenho da categoria veio do papel da transportadora Sequoia Logística (SEQL3). A ação subiu após a companhia divulgar a conclusão do processo de fusão com a Move3, aguardado pelo mercado para destravar valor da companhia.

Analistas explicaram que o movimento é importante para a tese de turnaround do papel.

Confira a seguir as cinco ações mais valorizadas. A lista tem como critério elencar apenas papéis cujo volume total de transações é igual a R$ 1 milhão ou superior. As cotações foram obtidas às 17h53.

  1. Sequoia Logística ON (SEQL3): +17,95%
  2. Magazine Luiza ON (MGLU3): +7,14%
  3. Lavvi ON (LAVV3): +6,00%
  4. Guararapes ON (GUAR3): +5,48%
  5. Portobello ON (PTBL3): +4,96%

Ações em queda

Por outro lado, a construtora Gafisa (GFSA3) terminou o dia na lanterna do Ibovespa. O papel entrou em queda livre de mais de 16% após o cancelamento da assembleia geral ordinária (AGO) proposta pela Esh Capital, gestora que tenta mobilizar acionistas  a votarem pela destituição do atual conselho da Gafisa.

Veja abaixo as cinco ações em queda. O ranking segue o mesmo critério da lista de ativos mais valorizados.

  1. Gafisa ON (GFSA3): -16,53%
  2. Vivara ON (VIVA3): -14,03%
  3. EMAE PN (EMAE4): -13,50%
  4. Lojas Marisa ON (AMAR3): -11,95%
  5. MRV ON (MRVE3): -5,70%

Bolsas de Nova York

As bolsas de Nova York fecharam em alta com mais uma vez o setor de tecnologia em destaque. O entusiasmo com inteligência artificial (IA) se contrapôs à cautela que a aproximação da decisão de juros do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) pode ter trazido, mantendo o apetite por risco em Wall Street.

No fim da tarde em Nova York, o índice Dow Jones  fechou em alta de 0,20%, a 38790,43 pontos, enquanto o S&P 500 subiu 0,63%, a 5149,42 pontos. Por fim, o Nasdaq avançou 0,82%, a16103,45 pontos.

Bolsas da Europa

As bolsas europeias fecharam perto da estabilidade com altas ou quedas leves, à medida que a cautela diluiu o impulso visto mais cedo quando dados melhores do que o esperado da China ajudaram a manter um clima mais positivo.

Em Paris, o índice referencial CAC-40 caiu, após renovar patamares históricos em sucessivos pregões da semana passada. Assim, o CAC 40 fechou em queda de 0,20%, aos 8.148,14 pontos.

O DAX, de Frankfurt, teve variação positiva de 0,01%, fechando aos 17.939,21 pontos, sem se distanciar do recorde de fechamento de 17.965,11 pontos marcado na semana passada. Em Londres, o índice FTSE 100 encerrou em baixa de 0,06%, aos 7.722,55 pontos.

O índice FTSE MIB terminou estável em 33.940,96 pontos. Por fim, o Ibex-35, de Madri, cedeu 0,01%, aos 10.597,00, enquanto que em Lisboa, o PSI 20 avançou 0,65%, encerrando o dia em 6.170,73 pontos.

*Com informações do Estadão Conteúdo e Dow Jones Newswires

Quer entender como funciona a Bolsa de Valores? Acesse o curso gratuito e online do Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias