Mercado

Ibovespa fecha em queda de 1,16%, mas mantém os 130 mil pontos; dólar chega a R$ 4,97

Desempenho da Petrobras e o PIB dos Estados Unidos foram os destaques da agenda

Bolsa de valores. Foto: Divulgação B3.
Bolsa: investidores também monitoram Haddad e Tebet, que participam de evento. Foto: Divulgação B3.

A bolsa de valores fechou em queda de 1,16%, a 130.155,43 pontos nesta quarta-feira (28/02) com o desempenho da Petrobras e o PIB dos Estados Unidos em destaque na agenda. Por outro lado, o dólar intensificou os ganhos e ficou em R$ 4,97 no fechamento.

A queda do Ibovespa se intensificou ao longo do dia, com a Petrobras entre as piores perdas, com quedas de 5,16% (PETR4) e 5,39% (PETR3). Isso após o presidente da petroleira, Jean Paul Prates, dizer que precisava ser “cauteloso” com o pagamento de dividendos.

Anteriormente, no início do pregão, o PIB dos EUA já havia jogado os ânimos para baixo ao registrar crescimento de 3,2% no 4T23 na segunda leitura.

Além disso, a Vale (VALE3) contribuiu para o desempenho ruim da bolsa de valores, caindo 1,17%, mesmo com a alta do minério de ferro.

Dólar

Simultaneamente, o dólar fechou em alta, subindo 0,75% em relação ao real, cotado a R$ R$ 4,9700, em alta de 0,75%.

Da mesma maneira, no cenário externo, o DXY, que mede o desempenho global do dólar, subiu 0,14%, a 103,97 pontos.

Ações em alta

Veja os papéis que mais subiram na bolsa de valores hoje.

  • Traders Club (TRAD3) +12,05%
  • Pão de Açúcar (PCAR3) +11,93%
  • OceanPact (OPCT3) +8,45%
  • HBR (HBRE3) +6,94%
  • Porto Seguro (PSSA3) +5,95%

Ações em baixa

Confira também as ações com as piores quedas.

  • Recrusul (RCSL4) -15,29%
  • Eternit (ETER3) -13,50%
  • Clearsale (CLSA3) -8,05%
  • IRB (IRBR3) -5,57%
  • Petrobras (PETR3) -5,39%

Os rankings contemplam ações com volume acima de R$ 1 milhão no pregão, com papéis que integram ou não Ibovespa e outros índices. As cotações foram apuradas depois do fechamento, às 18h07, mas podem ter atualizações.

Bolsas mundiais: Nova York

As bolsas de Nova York fecharam em queda, com o Dow Jones cedendo pela terceira sessão seguida, à medida que os investidores adotaram uma postura cautelosa antes da divulgação do principal dado monitorado pelo Federal Reserve para suas análises sobre o comportamento da inflação.

O dia foi pontuado por manifestações prudentes de integrantes do Federal Reserve (Fed), enquanto a revisão em leve baixa dos dados do Produto Interno Bruto dos Estados Unidos no quarto trimestre não abalou a convicção de que a economia norte-americana segue robusta. O levantamento trouxe ainda sinais da persistência da inflação no período.

O Dow Jones cedeu 0,06%, aos 38.949,02 pontos. O S&P 500 caiu 0,17%, aos 5.069,76 pontos. O Nasdaq recuou 0,55%, aos 15.947,74 pontos.

Europa

As bolsas europeias fecharam com desempenhos divergentes. A Bolsa de Londres foi a mais pressionada, diante do tombo de dois dígitos da companhia de produtos de consumo Reckitt Benckiser e da gestora de fundos St. James’s Place, com resultados abaixo das expectativas.

A rede varejista francesa Casino, controladora do Grupo Pão de Açúcar (GPA) no Brasil, recuou em Paris sob impacto do anúncio de prejuízo no quarto trimestre e em ajuste após disparar na terça-feira. No Brasil, porém, o Pão de Açúcar liderou ganhos no Ibovespa.

Assim, o índice pan-europeu Stoxx 600 recuou 0,35%, a 494,59 pontos. Em Londres, o FTSE 100 fechou em baixa de 0,76%, aos 7.624,98 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX subiu 0,25%, aos 17.601,22 pontos. O CAC-40, referencial da Bolsa de Paris, ganhou 0,08%, para encerrar aos 7.954,39 pontos.

Entre os outros principais índices referenciais da região, o FTSE MIB, de Milão, caiu 0,27%, a 32.617,96 pontos; em Lisboa, o PSI 20 teve baixa de 0,44%, a 6.192,90 pontos; em Madri, o IBEX 35 recuou 0,45%, a 10.068,60 pontos.

PIB dos EUA

A bolsa de valores também foi afetada pela divulgação do PIB dos EUA.

O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos cresceu ao ritmo anualizado de 3,2% no quarto trimestre de 2023, segundo revisão divulgada nesta quarta-feira (28) pelo Departamento de Comércio do país.

Nesse sentido, o resultado ficou ligeiramente abaixo da estimativa inicial e da previsão de analistas consultados pela FactSet, de alta de 3,3% em ambos os casos.

IGP-M

Também foi divulgado os dados do IGP-M de fevereiro, e este veio em linha com as estimativas, deflacionando 0,52%. O resultado foi derivado da queda expressiva do IPA (atacado) que retrocedeu 0,9% no mês puxado pelas quedas de 0,43% dos Bens Industriais e de 2,19% dos bens agropecuários.

Dessa maneira, os destaques de queda no IPA foram os derivados de soja como óleo e farelo, além de minério de ferro e milho.

Destaque também para o comportamento estável do IPC (preços ao consumidor) que teve leve desaceleração de um mês para outro, em janeiro havia subido 0,59%, agora sobe 0,53%. Dentre esses, o grupo alimentação caiu de 1,62% para 1,09%.

Assim, “no geral o índice veio bom, com queda na margem de componentes importantes como alimentação e mesmo mão de obra”, afirma André Perfeito, economista.

*Com informações do Estadão Conteúdo

Quer saber como funciona a bolsa de valores? Acesse o curso gratuito e online do Hub Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias