Mercado

Ibovespa tem 13ª queda seguida com investidores de olho no exterior; dólar cai 0,1%

Ibovespa tentou se recuperar depois de registrar 12 quedas seguidas, mas não conseguiu

Ibovespa
O Ibovespa é o principal índice de ações da B3, a Bolsa de Valores do Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

O pregão desta quinta-feira (17) marcou a 13ª queda consecutiva do Ibovespa, com desvalorização de 0,53%. A sequência de baixas no índice de referência da bolsa de valores brasileira já é a maior em mais de 40 anos de história, aponta a plataforma financeira TradeMap.

Com o resultado, a bolsa de valores hoje perdeu o patamar dos 115 mil pontos, encerrando o pregão aos 114.982 pontos. O mercado está atento às movimentações no exterior, em especial, ao fraco crescimento da China pressionando exportadoras brasileiras de petróleo e minério, assim como em sinais de incerteza sobre a economia dos Estados Unidos.

Dólar hoje

Até o fechamento da bolsa de valores, o dólar hoje passou o dia em baixa volatilidade , batendo na máxima a R$ 4,996, enquanto a mínima em R$ 4,958.

No final do dia, o dólar teve desvalorização de 0,1% frente ao real brasileiro, cotado a R$ 4,981.

Ações em alta

A empresa com melhor desempenho na bolsa de valores nesta quinta-feira foi a Sequoia (SEQL3). Os papéis ordinários acumularam alta de +3,80%.

Confira as principais altas da bolsa de valores hoje. As ações consideradas no levantamento da Inteligência Financeira tiveram volume líquido negociado igual ou superior a R$ 1 milhão. As cotações foram atualizadas às 17h30 e podem oscilar até a publicação desta matéria.

  • Sequoia (SEQL3): +3,80%
  • Cielo ON (CIEL3): +2,67%
  • Odontoprev ON (ODPV3): +2,62%
  • M. Dias Branco ON (MDIA3): +2,25%
  • Eletrobras ON (ELET3): +2,15%

Ações em baixa

Entre as empresas que mais se desvalorizaram na bolsa no pregão de hoje, a imobiliária BR Properties teve o pior desempenho. Os papéis ON da companhia (BRPR3) despencaram -14,52%. Veja as cinco ações que mais perderam valor nesta quinta.

  • BR Properties ON (BRPR3): -14,52%
  • Trisul ON (TRIS3): -8,55%
  • Mils ON (MILS3): -6,93%
  • Helbor ON (HELB3): -6,46%
  • Wetwing ON (WEST3): -6,45%

Bolsas nos EUA e na Europa

No exterior, o mercado financeiro repercutiu a ata do Federal Reserve , banco central dos Estados Unidos, divulgada na quarta-feira.

Os spreads nas curvas de juros dos títulos de dívida norte-americano atingiram máxima recorde no pregão de hoje. A T-Note 20, título do Tesouro americano de renda fixa de longo prazo, atingiu o maior retorno previsto desde 2007.

Com relação à China, os investidores aguardam movimentações do governo local para estimular o mercado imobiliário, um dos maiores motores da economia chinesa. Dados do país asiático mostram que as medidas do governo não surtiram o efeito desejado, nem na indústria e tampouco no varejo.

As bolsas americanas fecharam em queda. A Nasdaq teve o pior desempenho, com desvalorização de 1,17%, fechando o pregão em 13.316 pontos. Já o Dow Jones  recuou 0,84%, aos 34.473 pontos, enquanto o S&P sofreu a menor baixa, caindo 0,78%, aos 4.370 pontos.

Os mercados acionários da Europa seguiram os de Wall Street e fecharam em queda nesta quinta.

Em Londres, o FTSE 100, caiu 0,63% a 7.310 pontos, enquanto o índice DAX, em Frankfurt, fechou em baixa de 0,71%, a 15.676 pontos. O CAC 40, em Paris, cedeu 0,94%, a 7.191 pontos, e o FTSE MIB, em Milão, fechou em queda de 1,03%, a 27.879 pontos. Já em Madri, o índice Ibex 35 caiu 0,04%, a 9.347 pontos. Na Bolsa de Lisboa, o PSI 20 recuou 0,51%, a 5.980 pontos. As cotações são preliminares.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.