Mercado

Inflação ao consumidor nos EUA vem abaixo do esperado em outubro

A desaceleração aumenta o argumento para um ritmo mais gradual de avanço de juros nas próximas reuniões do Federal Reserve – o banco central americano

Dólar. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
A inflação tem se mostrado resistente ante a alta das taxas de juros promovidas pelo Fed. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

A inflação ao consumidor nos Estados Unidos – importante indicador de preços – registrou em outubro o menor aumento no ano. O resultado oferece mais uma esperança ao Federal Reserve (Fed) – o banco central americano – que a economia está esfriando a inflação sem provocar uma recessão. Os dados foram publicados nesta quinta-feira, 01°/12, pelo Departamento de Comércio americano (BEA).

O índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês), cresceu 0,3% outubro, mesmo ritmo do mês anterior, mas no acumulado de 12 meses o avanço foi de 6%, contra 6,3% de setembro.

O núcleo do PCE, que exclui alimentos e energia, subiu 0,2% em outubro em relação a setembro. A alta é menor que os 0,5% na leitura anterior, enquanto no acumulado de 12 meses, o núcleo exibiu ganho de 5%, contra 5,2% da leitura de setembro. O presidente do Fed enfatizou esta semana que esse índice é uma medida precisa de onde a inflação está indo.

Ontem, Jerome Powell, afirmou que o banco central americano pode começar a reduzir o ritmo das altas de juros já a partir de dezembro. Segundo ele, a inflação registrou uma queda, mas ainda está bastante volátil. Para o economista-chefe do Banco Master, Paulo Gala, os recentes números da economia americana e da Europa parecem indicar um cenário mais tranquilo daqui em diante.

“A informação de que eles [Fed] devem abrandar o ritmo, mais os dados da inflação do consumidor que veio mais baixa do que o esperado, a notícia de um mercado de trabalho mais fraco, mais as informações de inflação cedendo da Europa – Alemanha, Espanha – colocam um cenário bem mais brando de choque de juros”, disse Gala no Morning Call de hoje.

Para o economista-chefe do Banco Master, o mercado inclusive já tem precificada uma taxa de juros. “O mercado, na curva de juros americana, já precifica um juro abaixo de 5%. Eventualmente o Fed poderia terminar esse ciclo abaixo de 5% já para março do ano que vem”.

Consumo Pessoal

Os gastos com consumo pessoal avançaram 0,8% em outubro, uma aceleração em relação ao 0,6% de setembro. Apesar da alta, o valor veio em linha com o esperado pelos economistas.

A renda pessoal subiu 0,7% – também acima do projetado pelos analistas de uma alta de 0,4%. Em setembro a renda pessoal havia crescido 0,3%.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias