Mercado

Mercados financeiros hoje: dados de inflação dos EUA ficam no foco

Investidores também acompanham discursos de dirigentes de Fed

Conheça algumas das melhores opções para fazer day trade. Foto: Adobe Stock
Movimento conjunto de crescimento da economia Chinesa, aliado a uma desaceleração da economia dos EUA faz com que mercados emergentes sejam buscados. Foto: Adobe Stock

O destaque desta quinta-feira, última sessão de fevereiro, é a divulgação do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, a medida favorita de preços do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA). Além disso, três dirigentes do Fed discursam: Raphael Bostic, de Atlanta; Austan Goolsbee, de Chicago; e Loretta Mester, de Cleveland. Na Alemanha, será revelado o índice de preços ao consumidor (CPI) de fevereiro. A agenda local traz a Pnad contínua, com a taxa de desemprego no trimestre móvel encerrado em janeiro. A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, participa de reunião do G20 em São Paulo. Já o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, participa de reuniões do G20 e se encontra com o presidente do Fed, Jerome Powell.

Exterior digere possibilidade de Fed demorar mais para cortar juros

Os juros dos Treasuries renovavam máximas em toda curva mais cedo e os longos avançam antes da divulgação do PCE de janeiro, após tanto o CPI quanto o PPI de janeiro dos EUA, que medem preços ao consumidor e ao produtor, terem vindo acima da expectativas, e o relatório de emprego, o payroll, também ter vindo mais forte no mês passado. Esses dados levaram o Fed a sinalizar que não tem pressa de começar a reduzir juros. O CME Group apontava há pouco 59,1% de chance de os cortes começarem em junho, de 66,8% há uma semana, ou seja, mesmo para junho a probabilidade já diminuiu.

Os futuros de Nova York operam no vermelho à espera do indicador. Já as bolsas europeias sobem, apesar de algumas informações negativas na região. As vendas no varejo da Alemanha caíram 0,4% em janeiro ante dezembro, frustrando a expectativa de analistas de avanço de 0,5%. Na Bolsa de Londres, os papéis da Anheuser-Busch InBev (AB InBev) caíam 2,23%, após a maior cervejaria do mundo divulgar queda de 33% no lucro líquido do quarto trimestre.

Cautela no exterior pode pressionar desempenho da bolsa aqui

A cautela em NY antes do PCE pode pesar no Ibovespa em meio ainda à queda do petróleo e do minério de ferro, que fechou em baixa de 0,17%, em Dalian, na China, além de balanços, como o da Ambev e Suzano. O avanço dos retornos dos Treasuries longos tendem a exercer pressão na curva de juros futuros, que olha a Pnad Contínua, mas o principal condutor para os negócios deve ser o PCE americano, além de falas de presidentes regionais do Fed. O dólar pode ficar mais volátil em dia de formação da Ptax de fevereiro.

No radar fica a notícia de que o vice-presidente e ministro do Desenvolvimento, Geraldo Alckmin (PSB), informou que o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, deve encaminhar até o fim de março as propostas de regulamentação da reforma tributária. E o projeto de lei da reoneração da folha de pagamentos de 17 setores da economia entrou ontem no sistema da Câmara dos Deputados.

*Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias