Mercado

Mercados financeiros hoje: exterior mostra cautela; Campos Neto é destaque local

Semana tem indicadores importantes no Brasil e Estados Unidos

Bolsa. Foto: Pixabay
. Foto: Pixabay

Por Redação B3 Bora Investir

A semana traz uma agenda importante, com dados do setor externo, do PIB brasileiro do terceiro trimestre, IGP-DI e dados do setor público consolidado de outubro, além da votação no Senado do projeto que regulamenta as apostas esportivas e da Cúpula do Mercosul, no Rio de Janeiro. O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, conduz hoje a LiveBC, faz palestra em seminário promovido pelo Coaf e recebe representantes da Fitch Ratings e da Secretaria do Tesouro Nacional para abertura da Missão de Avaliação de Risco Soberano da Fitch Ratings.

+ 7 fatos e frases que resumem a última semana de novembro na economia e no mercado

Lá fora, destaque para vários dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos (EUA), como o relatório payroll, e os índices de gerentes de compras (PMI, na sigla em inglês) americano, da China, zona do euro e Alemanha. A Presidente do BCE, Christine Lagarde, discursa. Em seu segundo dia de visita a Berlim, além de reuniões de trabalho com o chanceler da Alemanha, Olaf Scholz, e o presidente, Frank-Walter Steinmeier, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva encontra parlamentares no Senado alemão e participa um evento com representantes de empresas dos dois países.

No exterior, mercado mostra cautela

Os mercados de ações adotam cautela, com perdas leves entre os futuros de Nova York e na Europa, após ganhos na sexta-feira com um otimismo de que o Banco Central Europeu (BCE) já concluiu o ciclo de altas de juros e de discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell. Apesar de não ter descartado mais aperto, Powell disse que o BC americano não precisa agir com “pressa” e que a inflação parece estar “na direção correta”.

A curva futura indica chance majoritária de o Fed começar a reduzir a taxa básica já em março e entregar 1,25 ponto porcentual em cortes acumulados até o fim de 2024, conforme plataforma de monitoramento do CME Group. Os juros dos Treasuries e o dólar sobem, após recuarem na sexta-feira sob efeito de Powell. Já no período de silêncio dos dirigentes do Fed, que anunciam decisão de juros no próximo dia 13, a agenda de hoje é modesta, com dado de encomendas à indústria dos EUA. O euro ganha força em meio à espera de novas declarações da presidente do BCE, Christine Lagarde.

No Brasil, investidores de olho em falas de Campos Neto

Os investidores devem repercutir na abertura o boletim Focus e os dados do setor externo, enquanto aguardam Campos Neto à tarde e monitoram o presidente Lula em Berlim em meio aos sinais mistos dos ativos financeiros no exterior. Na sexta-feira, Campos Neto defendeu que o ritmo de cortes de 0,50 ponto segue apropriado, diante do comportamento da inflação corrente, do hiato da atividade e das expectativas de inflação. “Com as variáveis que temos na mão, ainda precisamos de juro em campo restritivo”, afirmou.

O dólar e os rendimentos dos Treasuries em alta podem dar tração aos mercados de câmbio e de juros, depois das perdas na sexta-feira na esteira de Powell e do recuo do petróleo à medida que os mercados continuam céticos de que a promessa da Opep+ de cortar a oferta em mais 1 milhão bpd será cumprida.

No radar local fica também a votação do projeto de lei de taxação das apostas esportivas, cuja data será definida após a volta do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), ao Brasil, prevista para quarta-feira, 6.

A Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), criticou neste domingo, 03, a fala do presidente Lula na COP-28, que admitiu a provável derrubada do veto ao marco temporal para demarcação de terras indígenas como exemplo de “raposa tomando conta do nosso galinheiro”.

“Temos um presidente que criminaliza a representatividade máxima da população brasileira, os deputados federais e senadores, responsáveis pela construção de legislações íntegras e que promovam a liturgia de direitos iguais, da segurança jurídica e do direito de propriedade, em que o direito de um brasileiro, indígena ou não, não se sobrepõe ao outro”, afirma nota divulgada pela Frente Parlamentar da Agropecuária.

*Agência Estado

Para mais conteúdos de finanças pessoais, confira os conteúdos gratuitos do Hub de Educação financeira da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.