Mercado

Mercados financeiros hoje: investidores esperam dados de inflação no Brasil e nos EUA para ajustar apostas sobre juros

Na agenda local, IPCA-15 é o destaque do dia

Painel IBOVESPA mostra número negativo em destaque acompanhado sequência de outros números
As ações mais negociadas foram as ordinárias da Vale (VALE3) que subiram 1,53%.

Por Redação B3 Bora Investir

A cinco dias das decisões de política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e do Copom, as atenções ficam hoje no índice de preços ao consumidor dos Estados Unidos medido pelo PCE e no IPCA-15 de janeiro. A próxima semana traz também o relatório de emprego dos EUA, o payroll, de janeiro, enquanto no Brasil há expectativa com a reunião do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), na qual deve ser discutida a MP da reoneração, alvo de conflito entre o Congresso e o Planalto, antes da volta do recesso parlamentar, em 5 de fevereiro.

Exterior mostra cautela

O mercado futuro em Nova York mostra cautela após balanços trimestrais da Intel, com lucro abaixo do esperado, e da Visa. Há pouco, os papéis da Intel tombavam mais de 12% e os da Visa caíam 3,3%. O investidor também está na expectativa com o PCE, medida de inflação preferida do Fed, que deve subir 0,2% em dezembro, na margem, após deflação de 0,1% em novembro.

Na Europa, foi revelado que o índice de confiança do consumidor na Alemanha deve se deteriorar significativamente em fevereiro, à medida que as intenções de gastos pioraram em meio à persistência da inflação.

A sexta-feira é também de queda de mais de 1% do petróleo WTI, enquanto o minério de ferro fechou em queda de 0,1% no mercado futuro da Dalian, na China.

No Brasil, mercado olha IPCA-15

O Ibovespa deve refletir a cautela vista no mercado futuro em Wall Street em meio ainda à queda do petróleo e do minério de ferro, antes do PCE americano. O EWZ, principal fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) brasileiro negociado em NY, caía 0,33% às 7h15 no pré-mercado em NY. Os Adrs da Petrobrás perdiam 0,81%, os da Vale eram negociados estáveis.

Os juros futuros devem ficar sensíveis ao IPCA-15. O índice deve acelerar a 0,47% em janeiro segundo mediana do Projeções Broadcast, ante 0,40% em dezembro, puxado pela inflação de alimentos. Em 12 meses, a alta deve ser de 4,63%, de 4,72% no encerramento de 2023. Já a média dos núcleos deve subir de 0,29% para 0,38%. O recuo dos rendimentos dos Treasuries longos pode favorecer alívio na curva antes do PCE.

*Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.