Mercado

Mercados financeiros hoje: PIB dos EUA é destaque no exterior

No Brasil, Senado pode votar PL de fundos exclusivos e offshore

Bandeira dos Estados Unidos tremulando asteada em frente a prédio histórico
Bandeira dos EUA; Foto: Adobe Stock

A agenda desta quarta-feira traz a divulgação da segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no terceiro trimestre. São esperados ainda o Livro Bege, o índice de preços ao consumidor (CPI) da Alemanha, além dos discursos do presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Andrew Bailey, e da presidente do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester.

No Brasil, destaque para a votação do projeto de lei de taxação dos fundos exclusivos e fundos offshore no Senado e para a instalação da comissão mista da proposta da subvenção do ICMS. A agenda traz ainda o IGP-M de novembro. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e ministro da Fazenda, Fernando Haddad, cumprem agenda em Riad, na Arábia Saudita.

No exterior, foco no PIB dos EUA e na inflação da zona do euro

O fôlego é curto na maioria das bolsas na Europa e no mercado futuro de Nova York antes da divulgação do PIB dos EUA, junto com o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês), do Livro Bege, sumário de opiniões que embasa as decisões de juros, além do CPI da Alemanha. A exceção é a Bolsa de Frankfurt, que sobe ao redor de 1%.

Os retornos dos bônus de governos da zona do euro recuam diante da expectativa de investidores de que a inflação desacelerará mais. Diretor de estratégia de juros do Commerzbank Research, Michael Leister comenta que a inflação na Alemanha deve estar contida, o que pressiona o juro do bônus de 10 anos da Alemanha (bund) abaixo de 2,5%.

O presidente do BoE, Andrew Bailey, reafirmou que a instituição fará a inflação retornar à meta de 2%, mas segundo ele o quadro atual ainda não permite ter total confiança de que ela chegará nesse ponto, mantida a política monetária atual. E o índice de confiança do consumidor na zona do euro avançou de -17,8 em outubro (dado revisado, de -17,9 antes informado) a -16,9 na preliminar de novembro, em linha com o esperado por analistas.

No Brasil, governo corre para aprovar pauta econômica no Congresso

Além do PIB dos EUA, os mercados locais estarão hoje na expectativa com a votação no Senado da proposta que muda o Imposto de Renda sobre fundos exclusivos e sobre a renda obtida no exterior por meio de offshores. Também vai a plenário o projeto que regulamenta as apostas esportivas de quota fixa, as chamadas bets. E com a proposta que altera a tributação federal sobre casos de subvenção estadual concedida a empresas, a Fazenda calculou que as novas regras trariam mais R$ 35,3 bilhões de arrecadação no próximo ano, essenciais para a meta de déficit zero buscada pela pasta.

O deputado José Guimarães (PT-CE), líder do governo na Câmara, enumerou três grandes prioridades na Casa. Primeiro, votar a MP das subvenções, depois a reforma tributária e o “combo” Lei de diretrizes Orçamentárias (LDO) e Lei Orçamentária Anual (LOA).

A menos de quatro semanas do início do recesso de fim de ano do Congresso, Haddad corre contra o tempo para conseguir a aprovação de pelo menos oito itens da pauta econômica até o dia 22 de dezembro – ou seja, uma proposta a cada três dias. A alta de mais de 1% do petróleo e a valorização dos futuros de NY devem ajudar o Ibovespa a avançar para além dos 126 mil pontos nesta quarta-feira. O EWZ, principal fundo de índice do Brasil negociado em Wall Street, subia 1,17% às 7 horas. Os ADRs da Petrobrás e da Vale também registram ganhos, ainda que moderados.

*Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.