Notícias

Mercados financeiros hoje: China mantém juro e investidores esperam decisões do Fed e Copom

Investidores esperam eventuais sinais sobre próximos passos das autoridades monetárias dos EUA e do Brasil

Edifício do Banco Central do Brasil, órgão regulador do CDI . Foto: Rmcarvalhobsb - Adobe Stock
Mais conhecido pela sigla CDI, o Certificado de Depósito Interbancário é um título emitido entre bancos. Foto: Rmcarvalhobsb - Adobe Stock

Decisões de política monetária no Brasil e nos Estados Unidos concentram as atenções dos investidores, sobretudo os respectivos comunicados. Para o Copom, espera-se corte de meio ponto porcentual da Selic. Quanto ao Fed, o mercado aguarda manutenção das taxas. Nos dois casos, o que mais ficará no foco são os eventuais sinais sobre os próximos passos dos juros. Nos EUA, a entrevista com o presidente Jerome Powell será acompanhada com afinco.

Bolsas estrangeiras têm queda à espera do Fed

Os índices futuros de ações de Nova York operam com viés negativo, após os recentes ganhos das bolsas americanas, com recorde ontem do S&P500. Os rendimentos dos Treasuries cedem, enquanto o DXY do dólar avança. Na Europa, quase todas as bolsas recuam. Hoje, foram divulgados dados da inflação ao consumidor do Reino Unido, que vieram abaixo do esperado, e ao produtor da Alemanha. Já a presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, disse que é preciso avançar mais no processo de desinflação da zona do euro.

Na China, o BC manteve suas principais taxas de juros no nível atual, e as bolsas asiáticas subiram. Mas o que os mercados estão mesmo é no aguardo da decisão de juros pelo Fed, seguida da entrevista do presidente Jerome Powell. A aposta majoritária é a taxa dos Fed Funds fique inalterada hoje pela quinta vez consecutiva e as atenções ficam nas novas projeções econômicas e estimativas de quantos cortes de juros poderão ocorrer este ano nos EUA.

No Brasil, mercado foca no comunicado do Copom

A queda da maioria dos índices de ações do ocidente e do petróleo pode pesar no Ibovespa. Em contrapartida, um alívio pode vir do minério ferro. A commodity fechou com alta de 1,23% em Dalian, na China, no dia em que o país manteve as principais taxas de juros. Porém, a volatilidade não pode ser descartada, dada a grande expectativa pelo comunicado do Fed após sua decisão sobre juros e mais ainda pela entrevista do presidente Jerome Powell. Nos juros futuros, a queda nos rendimentos dos Treasuries pode ser fonte de descompressão, embora também não se possa ignorar uma possível volatilidade antes da decisão do Copom no início da noite. A atenção maior ficará no comunicado do colegiado, que tem mantido a sinalização de que o ritmo de corte de 0,50 ponto porcentual continua sendo o mais apropriado para as próximas reuniões – no plural. O dólar também pode ficar volátil, diante da indefinição externa, a despeito do alívio marginal na curva dos Treasuries.

*Agência Estado

Para mais conteúdo de finanças pessoais, confira o Hub de Educação Financeira da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias