Notícias

Morre, aos 84 anos, o economista Affonso Celso Pastore

Pastore entrou para a vida pública em 1966 e teve passagens pelo Ministério da Fazenda, Banco Central e Ipea

Affonso Celso Pastore. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado
Affonso Celso Pastore. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

Morreu nesta quarta-feira, 21, o economista Affonso Celso Pastore, aos 84 anos, em São Paulo. Ele havia sido internado para uma cirurgia no sábado, 17, passou o fim de semana na UTI, mas não resistiu.

Graduado e com doutorado pela Universidade de São Paulo (USP), Pastore era um dos economistas mais renomados do País. Entrou para a vida pública em 1966, como assessor de Antônio Delfim Neto, então secretário da Fazenda do Estado de São Paulo. No ano seguinte, com Delfim nomeado ministro da Fazenda, Pastore passou a integrar a equipe de assessores.

Mais tarde, teve passagens pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e assumiu a coordenação de pesquisa do Instituto de Pesquisas Econômicas (IPE), ligado à USP.

Convidado por Ernane Galvêas, na época ministro da Fazenda, Pastore comandou o Banco Central entre 1983 e 1985, durante o governo Figueiredo, último período da ditadura militar. O economista teve participação ativa nas negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI) sobre a dívida externa brasileira.

“Há um marco na vida profissional de Pastore: sua passagem pelo Banco Central. Ele se dedicou às negociações com os banqueiros credores e com o FMI, na tentativa de amenizar os efeitos da crise externa dos anos 80. Ajudou a deixar para trás a recessão”, lembrou o economista José Júlio Senna, ex-diretor da Dívida Pública e Mercado Aberto do Banco Central, em perfil publicado pelo Estadão.

Após deixar o BC, tornou-se conselheiro consultivo da Caterpillar do Brasil. “Ele mergulhou, então, em pesquisas empíricas, voltadas para entender os fenômenos associados a uma inflação na casa dos 200%. Os resultados estão reunidos em Inflação e Crises, livro de leitura indispensável a todos os interessados na macroeconomia brasileira. São 80 anos muito frutíferos”, disse Senna.

A economista Zeina Latif, que é ex-aluna de Pastore, comentou que o professor foi uma das inspirações para que ela seguisse a carreira de economista. “Os problemas econômicos do País invadiam nossas casas, e eu, ainda menina, ficava curiosa para entender o que dizia aquele senhor austero que era presidente do Banco Central”, disse.

“Na pós-graduação, decidi fazer pesquisa na área monetária e a USP oferecia o que tinha de melhor: Pastore. Sua análise tinha grande rigor analítico. Como acadêmico, fez grandes contribuições e, como consultor, se sobressai pelo zelo com a observação dos dados e a análise empírica. É um economista que não foge do debate econômico. Alguém que entende sua missão e se importa com o Brasil. Tenho pelo professor Pastore profundo respeito e gratidão”, afirmou, à época, no perfil publicado.

Filho de Francisco Pastore e de Aparecida Pastore, o economista nasceu em 19 de junho de 1939 na capital paulista. Após sua passagem pela vida pública, fundou em 1993 a consultoria A. C. Pastore & Associados, especializada em análises da economia brasileira e internacional, escritório no qual também trabalha sua esposa, Maria Cristina Pinotti.

Pastore voltou à cena política em 2021 para assessorar o ex-ministro da Justiça Sergio Moro, então pré-candidato à Presidência da República pelo Podemos. Em março do ano seguinte, no entanto, Moro desistiu da disputa.

Pastore também foi autor de dezenas de livros, alguns deles escritos em parcerias com outros economistas. Um deles foi “Erros do Passado, Soluções para o Futuro”, em que analisa os erros de política econômica cometidos a partir dos anos 1960. Em 2020, Pastore recebeu uma homenagem num livro com nove artigos e uma entrevista inédita, em que mostra seu percurso intelectual e seu legado. A obra tem textos de Antonio Delfim Netto, Arminio Fraga Neto, Celso Lafer, Edmar Bacha, Ilan Goldfajn, José Júlio Senna, Marcos Lisboa, Mário Magalhães Mesquita e Samuel Pessôa.

*Agência Estado

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias