Notícias

Taxa de desemprego tem queda relevante em 8 de 27 unidades da Federação

Dados do IBGE são do segundo trimestre do ano em comparação ao primeiro trimestre. Em São Paulo, a taxa de desemprego desceu de 8,5% para 7,8% no período

Taxa de desemprego
Com mais gente empregada e mais dinheiro circulando, alguns setores da economia tendem a se beneficiar.

Por Redação B3 Bora Investir

A taxa de desemprego recuou de forma estatisticamente significativa em oito das 27 unidades da Federação na passagem do primeiro trimestre de 2023 para o segundo trimestre deste ano, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“Do primeiro para o segundo trimestre, é possível observar uma tendência de queda em todas as unidades da Federação, mas a redução foi estatisticamente significativa em apenas oito delas. A queda na taxa de desocupação nesse trimestre pode caracterizar também um padrão sazonal. Após o crescimento do primeiro trimestre, em certa medida, pela busca de trabalho por aqueles dispensados no início do ano, no segundo trimestre, essa procura tende a diminuir”, apontou Adriana Beringuy, coordenadora de Trabalho e Rendimento do IBGE, em nota oficial.

Na média nacional, a taxa de desemprego caiu de 8,8% no primeiro trimestre de 2023 para 8,0% no segundo trimestre de 2023. Em São Paulo, a taxa de desemprego desceu de 8,5% para 7,8% no período.

No segundo trimestre, as maiores taxas de desocupação foram as de Pernambuco (14,2%), Bahia (13,4%) e Amapá (12,4%). Os menores resultados foram registrados em Rondônia (2,4%), Mato Grosso (3,0%) e Santa Catarina (3,5%).

+ Você sabia que o índice de desemprego afeta seus investimentos?

Taxa de desemprego do Brasil por estado

No segundo trimestre de 2023, a taxa composta de subutilização da força de trabalho foi mais elevada nos estados do Piauí (39,7%), Sergipe (31,1%) e Bahia (30,9%). Os dados também Pnad Contínua do IBGE.

Os menores resultados ocorreram em Rondônia (6,3%), Santa Catarina (6,3%), e Mato Grosso (7,6%). Na média nacional, a taxa de subutilização foi de 17,8% no segundo trimestre.

O Nordeste concentrava 2,3 milhões de desalentados, entre os 3,7 milhões de pessoas existentes nessa condição no País no segundo trimestre.

A taxa de informalidade foi maior no Pará (58,7%), Maranhão (57,0%) e Amazonas (56,8%). Os menores resultados ocorreram em Santa Catarina (26,6%), Distrito Federal (31,2%) e São Paulo (31,6%). Na média do Brasil, a taxa de informalidade foi de 39,2% da população ocupada no segundo trimestre de 2023.

*Informações da Agência Estado

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3. Este é para quem está Começando a Investir.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias