Objetivos financeiros

Não gostei do presente: conheça seus direitos na hora de trocar ou devolver um produto

Veja em quais situações é possível trocar o seu presente

Pessoa entregando caixa de presente para outra
o hábito de dar presentes no Natal virou tradição em todo o mundo. Foto: Adobe Stock

Por Guilherme Naldis

Se arrepender de uma compra ou, simplesmente, não gostar do produto depois de tê-lo em mãos ou usá-lo é absolutamente comum. Quando se trata de uma compra na internet, é quase previsível. Por sorte, o artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor (CDC) estabelece as regras para que as compras possam ser trocadas ou estornadas caso o cliente esteja insatisfeito ou o produto deixe a desejar. Melhor ainda: as regras também valem para presentes.

Bora conhecer os seus direitos!

A obrigatoriedade de troca e devolução é verdadeira?

Quando um produto tem um defeito, de qualquer tamanho ou gravidade, o consumidor tem até 30 dias para solicitar a troca, conserto ou a devolução com reembolso do item no caso de bens perecíveis. Para os não perecíveis, o prazo é de 90 dias.

No entanto, Bianca Caetano, advogada da Proteste, afirma que só há obrigação de troca e devolução de produtos sem defeitos em casos de compras pela internet. Também é necessário que se manifeste o interesse pelo consumidor em até sete dias após o recebimento da encomenda. 

Guia da pechincha: 5 passos para nunca mais pagar o preço cheio 

“Já as compras em lojas físicas não dão nenhuma obrigatoriedade de troca imediata se o produto não tiver defeitos. Contudo, alguns estabelecimentos o fazem, mas condicionam as regras para exercê-la, como um prazo menor”, diz a advogada. 

Quando a troca é pelo mesmo produto, de marca e modelo iguais, mas mudando apenas o tamanho ou a cor, o fornecedor não pode exigir complemento de valor. Ao mesmo tempo, o consumidor não pode pedir abatimento do preço caso haja mudança entre o que foi pago e o valor no dia da troca.

Comprei e está intacto, mas não gostei. E agora?

Às vezes, acontece mesmo. Compras on-line tem a garantia de devolução por qualquer motivo em até sete dias. Já as compras físicas não contam com essa garantia, ainda que muitas lojas grandes a ofereçam.

“A troca por problema com cor, tamanho ou gosto é liberalidade do estabelecimento, que pode estipular condições como dias e horários para realizá-la. Estas informações devem estar dispostas em local de fácil visualização para o consumidor e é sempre recomendável perguntar na hora da compra”, afirma o Procon-SP, em nota ao Bora Investir.

Produtos comprados em liquidações ou saldos seguem a mesma regra?

Mesmo quando os preços caem, o consumidor tem o seu direito garantido. Porém, a recomendação é que se tenha cuidado com produtos vendidos nessas condições porque eles podem estar danificados ou apresentar pequenos defeitos, especialmente mercadorias de mostruário. 

Diferenças de até 500%: 5 dicas para comparar preços

“Desta forma, deve-se solicitar que o estado geral do produto seja especificado no pedido ou na nota fiscal, assim como as possíveis condições para troca”, diz o órgão. 

Quais documentos são necessários para trocar, pedir o conserto ou devolver um produto? 

Geralmente,  nota ou  o ticket fiscal da transação são o bastante para que se devolva, troque ou peça o conserto de um objeto. A etiqueta colocada no produto pelo estabelecimento também serve, assim como cupons que garantam a troca por qualquer pessoa, mesmo que não esteja de posse do comprovante de compra.

Quer saber mais sobre educação financeira? Confira o curso gratuito de ‘Como organizar suas finanças’ do Hub de Educação da B3!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias