Organizar as contas

Como garantir uma aposentadoria acima do salário mínimo sendo MEI

Microempreendedor Individual, o MEI tem opções para se aposentar por meio do INSS e da previdência privada

Aposentadoria. Foto: Pixabay
O profissional MEI tem duas opções para planejar a aposentadoria pelo INSS. Foto: Pixabay

Por João Paulo dos Santos

Deixar de pensar em um planejamento previdenciário desde cedo é um erro que muitos brasileiros cometem por falta de orientação sobre as possibilidades de aposentadoria.

Mesmo sem pagar planos privados, é possível garantir uma renda mensal acima do salário mínimo, mesmo se você é Microempreendedor Individual (MEI).

Opções através do INSS

De acordo com o advogado especialista em Direito Previdenciário, Gerson de Souza, o profissional MEI tem duas opções para planejar a aposentadoria pelo INSS, mas a mais vantajosa é pouco conhecida pelos brasileiros. “O Microempreendedor Individual paga mês a mês o INSS pelo DAS-MEI. Porém, em alguns casos ele terá problemas no momento de requerer a aposentadoria”, alerta.

Há dois modelos de planos previdenciários disponíveis para os MEIs: o Plano Normal e o Plano Simplificado.

  1. No Plano Simplificado o MEI recolhe 5% sobre o salário mínimo através do DAS-MEI e garante uma aposentadoria atrelada a este valor.
  2. Já no Plano Normal o MEI recolhe 5% pelo DAS-MEI e 15% pela GPS (Guia de Previdência Social), um total de 20% por mês. Desta forma, pode se aposentar na ‘média aritmética simples’. Ou seja, o benefício será calculado sobre a média de sua remuneração ao longo da vida profissional, diz Souza.

“Imagine que o contribuinte trabalhou um período de sua vida como CLT recebendo um salário de R$ 5 mil e em outro período recebendo R$ 7 mil. Agora, ao abrir o MEI, recolhe a aposentadoria pelo Plano Normal. No cálculo da aposentadoria será considerada a média salarial do seu histórico de trabalho. Nesse formato, o valor da aposentadoria não fica engessado no salário mínimo”, explica o advogado.

No caso do Plano Simplificado, ao dar entrada para se aposentar como MEI, o trabalhador não receberá o benefício com base na média salarial, mas que toma como referência o salário mínimo. “Ou seja, acabará ‘matando’ o cálculo previdenciário e perderá a oportunidade de ter uma aposentadoria melhor”, destaca Souza.

+ MEI: como declarar o Imposto de Renda e não cair na malha-fina

Previdência privada continua sendo opção para quem é MEI

Mesmo com as possibilidades através do INSS, a previdência privada não deve ser desconsiderada por quem é MEI, assim como para o trabalhador de carteira assinada.

O especialista em seguros e previdência privada da Warren, Danilo Carrillo explica que o INSS tem dois objetivos: a previdência típica de aposentadoria e o seguro de vida que vai garantir uma renda no caso de infortúnios, como acidente ou invalidez. 

“O ponto negativo é que o valor oferecido pelo INSS pode ser inferior ao necessário para o profissional autônomo manter o seu padrão de vida. Aí o mais interessante é poder contar com uma previdência privada”, diz ele.

Carrillo lembra que a previdência social não serve somente para a aposentadoria: também inclui produtos como auxílio-doença, morte ou invalidez. Por isso é recomendável que o MEI tenha uma previdência social e que possa complementar a renda que vai receber com a previdência privada, inclusive em caso de problemas de saúde.

+ Aposentadoria: guia completo para você se planejar

Semana do MEI

Durante os dias 22 a 26 de maio, o Sebrae realiza a Semana do MEI, evento de empreendedorismo e negócios para os microempreendedores individuais no Brasil.

O evento é 100% gratuito e terá atividades presenciais e online. São palestras, feiras, oficinas, orientações, tendências e conteúdos digitais, como webséries, artigos, podcasts, dicas e cases de sucesso.

Atualmente, existem cerca de 25,7 milhões de trabalhadores atuando como autônomos no país, segundo o IBGE.

Além disso, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad), divulgados em novembro de 2022, 70% das companhias brasileiras são enquadradas como MEI (Microempreendedor Individual). Isso representa 13,5 milhões de empresas funcionando na modalidade individual.

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.