Organizar as contas

IGP-M, IPCA ou direto com o proprietário: qual a melhor forma de renegociar seu aluguel em 2024

Para quem paga aluguel, negociar o índice de reajuste é essencial para manter as contas equilibradas

1 wirestock
Imóvel como investimento: vale a pena comprar para alugar?

Por Daniela Frabasile

Muita gente deixa o começo do ano para rever os principais gastos mensais do seu orçamento. Para quem não tem imóvel próprio, o custo do aluguel não foge dessa avaliação. Mudar de casa pode ser custoso e trabalhoso, mas pode valer a pena para algumas pessoas. E tanto quem quer se mudar quanto pretende tentar renegociar o valor com o proprietário pode ficar com a dúvida sobre qual o melhor índice de reajuste.

Quanto investir para pagar o aluguel com dividendos?

O Bora Investir conversou com especialistas para entender. Confira:

IGP-M, “a inflação do aluguel”, ainda vale a pena como indexador?

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) é um indexador criado em 1989 e apurado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE). Seu cálculo considera a variação de preços de uma ampla cesta de bens e serviços, além de matérias-primas utilizadas na produção agrícola, industrial e construção civil.

Alugar ou comprar um carro e imóvel: o que mais vale a pena

“O IGP-M foi criado em 1989, portanto, antes da estabilização da moeda brasileira, e era divulgado do penúltimo dia útil de cada mês”, lembra André Braz, coordenador dos Índices de Preços do FGV Ibre. Por ser divulgado antes do fim do mês, o índice acabou sendo adotado nos contratos de aluguel. “Na época, IGP-M e IPCA eram praticamente idênticos, com a vantagem de o IGP-M ser conhecido primeiro”, diz.

Esse indicador “nunca teve como finalidade medir a inflação dos aluguéis. Tanto é que o maior peso na composição do indicador são commodities, algo que está muito distante do universo dos aluguéis residenciais, por exemplo”, completa Pedro Capetti, especialista em dados do QuintoAndar.

IPCA, IGP-M, INPC, IPC: conheça os índices de inflação do Brasil

Por isso, recentemente, o IGP-M vem sendo mais criticado como índice para reajuste de aluguel. Em 2020, por exemplo, o indicador disparou em meio à volatilidade causada pela pandemia. O problema é que uma oscilação muito forte é ruim tanto para inquilinos quanto para proprietários: o inquilino muitas vezes não pode arcar com o custo a mais, e o proprietário pode perder o inquilino bom pagador e ficar com o imóvel vazio.

Por que o IPCA ganhou espaço em novos contratos?

Com a oscilação e o entendimento de que o IGP-M depende muito de itens como dólar e commodities, que pouco têm a ver com o mercado imobiliário, começou a aumentar o número de contratos sendo fechando prevendo o reajuste anual pelo IPCA, o índice oficial de inflação do Brasil. O QuintoAndar, por exemplo, passou a usar esse indicador como o padrão nos contratos fechados na plataforma.

Imóvel como investimento: vale a pena comprar para alugar?

“O objetivo da mudança foi evitar os impactos negativos para inquilinos e proprietários causados pelas distorções do IGP-M, especialmente em momentos de volatilidade do indicador, como o vivido durante a pandemia”, explica Capetti.

“O IPCA foi o escolhido por ser o indicador de inflação oficial do país, com uma cesta de itens mais próxima do dia a dia dos brasileiros”, diz.

Posso negociar o reajuste diretamente com o proprietário?

Sim, negociar uma taxa predefinida junto ao proprietário no momento da assinatura do contrato é uma possibilidade. “De certo modo, isso dá previsibilidade ao inquilino na hora de saber quanto o contrato dele poderá custar no futuro”, afirma o especialista do QuintoAndar.

Planejamento 2024: vale mais a pena comprar ou alugar um carro?

Além disso, existem casos em que inquilinos e proprietários decidem por algo que está fora do contrato por “situações extraordinárias”, diz ele. Um exemplo foi durante a pandemia de covid, , quando o IGP-M chegou a apontar uma variação de mais de 30% no acumulado em 12 meses. “Por isso, vale sempre manter uma relação aberta com o proprietário a fim de encontrar um valor bom para as duas partes visando a manutenção do contrato”, diz.

Sua meta para este ano é colocar as contas no azul? Confira este curso gratuito que te mostra passo a passo como organizar suas finanças. Ano novo, contas em dia!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.