Renda fixa

Quanto rendem R$ 20 mil no Tesouro Direto, CDB e poupança com a nova Selic

Mudanças na taxa básica de juros brasileira influenciam diretamente o rendimento de ativos de renda fixa, como os do Tesouro Direto

Cofre e moeda. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
As principais diferenças que devem ser observadas são em relação à garantia do FGC e o IR. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por João Paulo dos Santos

Na última quarta-feira, 31 de janeiro, o Copom decidiu baixar a Selic a 11,25%. A taxa básica de juros brasileira tem efeito direto nos ativos de renda fixa. Assim, todas mudanças no juro alteram os rendimentos de títulos como os do Tesouro Direto, CDB, poupança e mais.

Para exemplificar, o Bora Investir simulou quanto renderiam R$ 20 mil investidos em títulos de renda fixa. Foi utilizado o próprio simulador do TD, com período até 01 de março de 2026. Confira!

Quanto renderiam R$ 20 mil em renda fixa, segundo o simulador do Tesouro Direto

TítuloAporteRetorno em março de 2026Rendimento
Tesouro Selic 2026R$ 20.000,00R$ 23.116,95R$ 3.116,95
LCI/LCAR$ 20.000,00R$ 22.739,60R$ 2.739,60
Fundo DIR$ 20.000,00R$ 22.643,87R$ 2.643,87
CDBR$ 20.000,00R$ 22.598,14R$ 2.598,14
PoupançaR$ 20.000,00R$ 22.572,58R$ 2.572,58
Fonte: Simulador TD

De acordo com o simulador, o título do Tesouro Selic 2026 renderia R$ 3.116,95 ao investidor. Já as letras financeiras, LCI e LCA, teriam rendimento de R$ 2.739,60.

Um pouco abaixo vem o investimento em Fundo DI, que renderia R$ 2.643,87 e o CDB, com retorno de R$ 2.598,14. Por fim, quem colocasse os R$ 20 mil na poupança teria R$ 2.572,58 de lucro.

Impacto da queda da Selic na renda fixa

Para a chefe de Economia da Rico, Rachel de Sá, a renda fixa segue atrativa, principalmente porque os juros devem continuar em patamares altos, acima dos níveis de inflação no curto prazo, “o que garante retornos elevados para investimentos de prazos mais curtos (até três anos) e reserva de emergência”.

Ela também afirma que, diante de um cenário em que a inflação segue como um risco no longo prazo, títulos de renda fixa atrelados a índices de preço, como os IPCA+, do Tesouro Direto, seguem uma excelente proteção para os investimentos, sobretudo os de vencimentos mais longos, acima de 2030.

Vinicius Romano, especialista em Renda Fixa da Suno Research, afirma que apesar do ciclo de queda, o patamar atual da taxa Selic ainda proporciona uma boa relação risco x retorno para os títulos pós-fixados, já que praticamente não sofrem com a marcação a mercado e são positivamente impactados pelo alto nível da taxa básica de juros.

Para saber ainda mais sobre investimentos educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias