Ações

Saiba quais foram as 20 ações com maiores dividend yield em 2023

Confira as ações que mais pagaram dividendos na comparação com seu preço unitário no último ano e as projeções para 2024

Mão segurando notas de cem reais
a Inteligência Financeira foi atrás de quem entende do assunto para esclarecer. Foto: Adobe Stock

Por João Paulo dos Santos

A busca por bons rendimentos é um dos grandes atrativos da renda variável. Dentre os diversos ativos dessa categoria estão as ações.

Uma das estratégias para lucrar investindo em ações é investir em papéis de empresas que pagam bons dividendos. Para isso, a companhia precisa apresentar bons resultados, já que todas as empresas brasileiras listadas na B3 que registram lucro têm obrigação de distribuir, no mínimo, 25% desse valor aos seus acionistas. Mas a fatia pode até ser maior, se a empresa decidir.

Para descobrir quais papéis pagam bons dividendos, uma das estratégias é avaliar o Dividend Yield (DY) — uma expressão inglesa que traduzida, literalmente, significa rendimento do dividendo. Trata-se de um índice criado para medir a rentabilidade dos dividendos de uma empresa em relação ao preço de suas ações.

Para descobrir o DY é preciso fazer um cálculo: você deve dividir o valor de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) pagos em determinado período pelo preço individual da ação antes dessa distribuição dos proventos. Depois, basta multiplicar esse resultado por 100. 

Com base nessa conta, o levantamento de Einar Rivero, consultor financeiro da Elos Ayta Consultoria, destacou as 20 ações que mais pagaram dividendos aos seus acionistas. Confira!

As 20 ações com maiores DY de 2023

Líder do ranking, com o maior dividend yield, a ação da Mahle-Metal Leve (LEVE3), teve um retorno de 35,80% em proventos aos seus acionistas.

Para José Daronco, analista CNPI da Suno Research, a distribuição de proventos da companhia não se deu pelo resultado propriamente dito. Mas, por uma captação a mercado (follow-on), que possibilitou ela pagar ‘dividendos turbinados’.

Em segundo e terceiro lugar da lista estão os papéis da Petrobras, PETR4 e PETR3. As ações tiveram DY de 29,58% e 25,85%, seguindo a trajetória dos últimos 2 anos de pagar um dividendo expressivo.

“Isso decorre, principalmente, por conta do preço das commodities em um patamar elevado aliado a uma cotação da Petrobras atrativa, o que possibilita um yield elevado”, destaca Daronco.

Já Enrico Cozzolino, sócio e head de análise da Levante Investimentos, aponta que a empresa adotou para 2024 uma forma mais sustentável para distribuição de dividendos. “Assim, ela pode inclusive se repetir neste ano. Não tem um yield tão grande quanto o do ano passado, mas tem um potencial de retorno”.

Outros destaques

O analista da Suno ainda ressalta, nas demais empresas, uma concentração elevada no setor financeiro, especialmente entre bancos e seguradoras. “Esse setor já é reconhecido por atingir um grau de maturidade elevada, o que possibilita uma forte distribuição do seu resultados aos acionistas”.

Perspectivas para 2024

“Para 2024, vemos um cenário similar ao de 2023, com fortes proventos a serem distribuídos pelas companhias listadas. O cenário de juros em queda aliado com uma inflação controlada fará com que o consumo seja retomado e os resultados operacionais sejam fortes. Com isso, esperamos mais dividendos aos acionistas neste ano”, completa José Daronco.

Para saber mais sobre investimentos, confira os vídeos e cursos gratuitos do Hub de Educação Financeira da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.