Objetivos financeiros

Mercado Futuro: entenda o que é e como funciona

Criado com o intuito de minimizar os riscos de perda, o famoso hedge, o ambiente também é utilizado para gerar lucros mesmo com as oscilações de preço

Homem interrompendo com a mão, a queda de um dominó . Mercado futuro visa a redução de danos. Foto: Adobe Stock
Simplificadamente, a Margem de Garantia é a quantia necessária que o investidor precisa ter em conta para operar no mercado futuro. Foto: Adobe Stock

Quando se pensa em bolsa de valores, logo vem à mente as negociações em tempo real, com preços subindo e caindo conforme surgem novas informações sobre o rumo das economias e das empresas.

Mas o que pouca gente sabe é que, além das cotações à vista ou do mercado a termo dos derivativos, existe um ambiente na B3 em que são negociados preços futuros. É, como o próprio nome já diz, o Mercado Futuro.

Nele, os investidores negociam moedas (dólar, euro, etc.), commodities (soja, boi, ouro, etc.) ou mesmo taxas de juros e índices (Ibovespa B3). A modalidade oferece ao investidor o direito de compra ou venda por um preço pré-definido para um produto em uma data futura.

A ideia pode parecer estranha, mas o Mercado Futuro surgiu da necessidade de diminuir os riscos de perdas para produtores, empresários e investidores, que eram prejudicados com as oscilações de preços no horizonte de tempo.

Hedge ou estratégia de proteção?

Imagine, por exemplo, uma empresa que precisa importar matérias primas cotadas em dólar. Pode ser uma boa surpresa quando o dólar se desvaloriza diante do real – tornando o produto mais barato. Por outro lado, também é possível que aconteça o contrário, com a desvalorização do real, tornando a importação custosa demais para a empresa.

Para evitar os custos de uma possível alta cambial, a empresa compra contratos futuros de dólar ao valor que espera pagar, assegurando mais previsibilidade em seus gastos.

Agora imagine a situação para um produtor de gado. O preço da arroba do boi gordo também varia conforme oferta e demanda, mas ele precisa garantir um mínimo para ter lucro. Nesse caso, uma estratégia do Mercado Futuro é a possibilidade de comprar um contrato futuro do boi gordo que assegure essa cotação ideal.

Nos dois exemplos, os investidores realizaram movimentos para defender seus negócios das flutuações nos preços dos ativos. Essa ação protetora é chamada de hedge, que é fundamental para manter a saúde financeira de negócios de vários segmentos.

Especulação financeira no Mercado Futuro

Há também a possibilidade de usar os contratos futuros para obter ganhos com a oscilação. Nesse caso, o investidor age por meio da compra e da venda de contratos futuros com o intuito de ganhar com a diferença entre o preço da compra e o valor da venda.

Quando um investidor compra um contrato futuro, ele assume uma posição no mercado, dependendo da estratégia adotada:

  • Quem está “comprando” investe na valorização do ativo no prazo do contrato e lucra quando essa expectativa se cumpre – quando há queda no preço, o investidor registra prejuízo;
  • Quem está “vendendo” prevê desvalorização no preço do ativo e tem ganhos com a queda na cotação – quando o contrário da expectativa acontece, há perda.

O especulador pode tanto manter posições em aberto por vários dias ou semanas como pode fazer uma aposta sobre os preços ao longo de um mesmo dia, executando o chamado o day-trade.

Características do Mercado Futuro: o que considerar?

Existem algumas característica fundamentais sobre o Mercado Futuro que os investidores precisam se atentar. Confira abaixo:

– Contratos Futuros Padronizados

Vale observar que os contratos futuros são padronizados: cada um tem a mesma quantidade de um ativo para o prazo determinado.

Um contrato de soja, por exemplo, considera 450 sacas de 60 kg de soja tipo exportação. Com isso, a B3 consegue garantir mais liquidez e facilidade para quem negocia. Confira a lista de ativos do Mercado Futuro.

Como foi criado para reduzir riscos de instituições e grandes investidores, os contratos futuros podem ter um valor alto. No caso do dólar, por exemplo, um lote padrão, que contém cinco contratos, equivale a US$ 250 mil.

Por isso, para alguns dos ativos mais procurados foram criados minicontratos. O minicontrato futuro de dólar equivale a US$ 10 mil a unidade.

– Ajuste Diário dos Compromissos

Outra grande diferença do Mercado Futuro para o mercado a termo é o chamado ajuste diário dos compromissos. Isso quer dizer que, todos os dias, são verificadas as alterações de preços para apuração de perdas e ganhos, realizando-se a liquidação das diferenças.

Em caso de ganhos, a quantia é creditada na conta do investidor. Se houver perda, o investidor terá que pagar por ela usando a garantia empregada para efetuar a negociação.

Como o investidor pode ter que arcar com perdas, é preciso depositar uma garantia para poder operar no Mercado Futuro. Essa margem funciona como um cheque caução e pode ser dada em dinheiro ou em alguns títulos de renda fixa, como CDB e Tesouro Direto, ou mesmo em ações.

O Mercado Futuro tem alta volatilidade e pode gerar perdas grandes num curto prazo de tempo. Por isso, é indicado para quem já tem mais conhecimento do mercado e tem um perfil de investidor arrojado, com maior tolerância a riscos.

– Transações Facilitadas

Facilidade: assim como no caso de outros ativos, as transações são realizadas exclusivamente na bolsa e tudo é realizado de forma online, facilitando as negociações. A possibilidade de negociar mini e micro contratos oferece preços mais acessíveis;

– Alavancagem Financeira

No Mercado Futuro, o investidor pode movimentar valores acima dos que possui em conta, em operações alavancadas.

Com esse tipo de operações, não é preciso pagar o valor total negociado nos contratos, mas só receber o lucro – ou arcar com as perdas. Dessa forma, é possível investir como um investidor maior sem precisar ter todo o dinheiro em conta.

Também é exigida uma margem de garantia nesse tipo de operação, para dar segurança ao mercado. Em caso de inadimplência na cobrança de perdas, a B3 liquida o contrato e emite um alerta para a corretora intermediária da operação;

– Liquidez Financeira

Também é possível encerrar a posição – ou seja, solicitar o resgate do dinheiro investido – a qualquer momento, mesmo antes do vencimento do contrato. Isso é possível porque os preços são reajustados todos os dias.

E aí, o que achou do Mercado Futuro? Para saber mais sobre esse conceito, acesse a B3 Educação e confira os conteúdos que temos sobre o tema!

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias