Notícias

Caso Americanas: CVM vai analisar conduta de Lemann, Sicupira e Telles

O órgão regulador do mercado abriu até agora sete procedimentos que podem virar investigações

Lojas Americanas. Foto: Adobe Stock
Crise contábil fizeram as ações caírem mais de 80% desde a revelação das inconsistências. Foto: Adobe Stock

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) atualizou sua atuação em torno do caso Americanas (AMER3). O regulador, que constituiu uma força tarefa de áreas técnicas, tem sete procedimentos abertos para analisar o assunto, incluindo a conduta dos acionistas de referência formado pelo trio Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles.

As superintendências envolvidas são as de Relações com Empresas (SEP), Relações com o Mercado e Intermediários (SMI), Normas Contábeis e Auditoria (SNC), Processos Sancionadores (SPS), Proteção e Orientação aos Investidores (SOI), Registro de Valores Mobiliários (SRE) e Securitização (SSE).

No processo administrativo 19957.000491/2023-12 a SEP analisa a conduta da companhia, acionistas  de referência e administradores da Americanas à luz da divulgação de informações e o cumprimento das resoluções 44 e 80, além da lei das Sociedades por Ações (lei 6.404). No comunicado divulgado na quinta-feira, a CVM diz que se refere à divulgação do pedido de tutela cautelar antecedente e das informações contidas no referido pedido em comparação às informações divulgadas, até então, a respeito das inconsistências contábeis.

+ Entenda a crise que levou a Americanas à recuperação judicial em 8 dias

O primeiro processo da CVM, da SEP, foi aberto para apurar eventuais irregularidades envolvendo informações contábeis. A mesma área apura eventuais irregularidades na divulgação de notícias, fatos relevantes e comunicados. Já a SMI tem um procedimento para apurar eventuais irregularidades nas negociações com ativos de emissão da companhia.

O regulador também informou que a atuação da SOI visa apurar denúncia recebida pelos canais de atendimento da autarquia. Já a SRE vai ver como atuaram os coordenadores líderes em ofertas públicas de distribuição de valores mobiliários de emissão da Americanas. As agências de classificação de risco, por sua vez, ficarão a cargo do trabalho da SSE.

“Conforme anteriormente informado, após a investigação e apuração de fatos e eventos, caso venham a ser formalmente caracterizados ilícitos e/ou infrações, cada um dos responsáveis poderá ser devidamente responsabilizado com o rigor da lei e na extensão que lhe for aplicável”, disse a CVM.

A CVM está utilizando convênios que possui junto à Polícia Federal e ao Ministério Público Federal e também afirma estar em “constante diálogo” com a Advocacia-Geral da União, para coordenar eventual atuação conjunta em juízo.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias