Notícias

Federer: aposentadoria aos 41 anos e fortuna de US$ 900 milhões

Fortuna do tenista suíço foi conquistada não apenas em quadra, mas com diversos investimentos ao longo de sua carreira

Tenista Roger Federer. Foto: AustralianOpen/Twitter
Atleta suíço se aposentou na última sexta-feira, 23. Foto: AustralianOpen/Twitter

O tenista suíço Roger Federer fez na sexta-feira, 23, sua última partida como atleta profissional. Aos 41 anos, o jogador considerado um dos maiores da história, anunciou sua aposentadoria com uma fortuna acumulada de US$ 900 milhões em 2021, segundo a revista Forbes. E esse patrimônio foi conquistado de muitas formas, além das quadras.

Com o esporte, o tenista ganhou mais de US$ 130 milhões em premiações durante seus 24 anos de carreira. No total, ele somou 103 títulos na carreira, 1251 vitórias e 275 derrotas. Agora fora das quadras, esse valor não poderá aumentar por conta dos problemas físicos em consequência de operações no joelho, e propriamente pela idade, que o fizeram encerrar seu período como atleta.

Mas, apesar da sua função principal como jogador, a fortuna de Federer também se deve à publicidade e marketing em torno do grande atleta que foi. Empresas como a Uniqlo, de vestuário, e a Rolex são marcas que estão ligadas ao atleta. Apenas com a companhia de roupas, o suíço fechou em 2018 um contrato de dez anos que prevê pagamento de US$ 30 milhões por ano, mesmo em caso de aposentadoria – que, de fato, aconteceu agora.

Outra fonte da fortuna de Federer é a empresa de calçados On Running. Ele investiu US$ 54 milhões em troca de 3% na companhia em 2019 e, dois anos e alguns meses depois, a viu levantar mais de US$ 600 milhões em seu IPO na NYSE (Bolsa de Nova York). Por meio da marca lançou sua própria linha de calçados, a The Roger, com modelos para corrida de rua e tênis. 

Além de diversos patrocínios, o suíço também é dono da TEAM8, uma agência que começou com gerenciamento de jogadores e hoje atua com esportes e entretenimento, tendo como carro-chefe o Laver Cup, torneio de tênis criado em 2017 em homenagem ao ex-tenista australiano Rod Laver, que faturou € 29 milhões antes da pandemia. 

Ainda mantém uma fundação que leva seu nome, a Roger Federer Foundation, que atua em projetos educacionais de seis países do continente africano e já beneficiou mais de 1,75 milhão de pessoas na África. “Meu sonho é ser um dia mais famoso por minhas ações filantrópicas que pelo tênis”, disse Federer, em entrevista à CNN em 2018, quando completou 15 anos de Fundação e atingiu a marca de 1 milhão de crianças atendidas.

Todos esses pontos colaboraram para que Federer fosse um dos 7 atletas mais ricos do planeta. Outros tenistas como Rafael Nadal e Novak Djokovic acumularam fortuna de US$ 500 milhões e US$ 470 milhões, respectivamente, segundo a revista Forbes.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias