Notícias

Dá para se planejar agora e viajar no fim do ano sem endividamento

Orçamento detalhado com as despesas diárias, escolha de passeios e fuga do parcelamento no cartão são algumas das recomendações

Foto Pixabay
Foto Pixabay

Por Redação B3 Bora Investir

E-mails com o tema de viagem de final de ano já começam a encher a caixa de entrada. A menos de quatro meses para encerrar 2023, ainda há aqueles que não se planejaram para aproveitar os dias de folga em outra cidade ou até mesmo país.

Apesar de faltar pouco tempo, é possível organizar as finanças e ter dinheiro para essa despesa sem o risco de começar 2024 no vermelho. Veja dicas dos especialistas.

Cuidado se houver sinal de endividamento

Para a consultora e palestrante Andreza Stanoski Rocha, da Zetra, a capacidade de poupar dinheiro nos próximos meses vai depender do tamanho da despesa e do planejamento financeiro dessa família.  Se a viagem é mais custosa do que a reserva para esse objetivo, a dica da especialista é decidir pelo adiamento e planejar melhor para fazer as malas em uma data futura.

“Já caso a família estiver disposta a economizar com pequenas mudanças, vale a pena curtir o final de ano sem esbanjar muito”, diz Andreza.

Corte despesas antes e durante a viagem

Mesmo que o tempo seja curto, detalha Carol Stange, consultora financeira, a organização e o planejamento são dois grandes trunfos para ter sobra de caixa e arcar com os custos extras.

“Você certamente estará se preparando adequadamente para aproveitar o fim de ano ao priorizar a redução de despesas antes e durante a viagem, fazer ajustes no orçamento e definir um plano de poupança e investimento claro para o objetivo de fim de ano”, resume.

Para ter controle dos gastos antes de fazer as malas, a recomendação de Carol é calcular o orçamento diário a partir da análise de todos os custos estimados, desde hospedagem, refeições, atividades e até presentes. Esse valor deve se basear no tempo que a viagem vai durar. A planilha detalhada permitirá ter uma ideia realista do quanto se pode gastar diariamente, evitando despesas além do planejado.

+ Tudo sobre seguro-viagem: saiba como funciona e se vale a pena contratar

“Essa cautela permite aproveitar sua viagem gastando menos e, ao mesmo tempo, colocar em prática um planejamento financeiro mais sólido. Portanto, pensar no futuro desde cedo não só alivia o impacto no orçamento, mas também contribui para uma experiência mais agradável e financeiramente consciente”, analisa a consultora.

Já Andreza lembra que viagens bem planejadas evitam os gastos com “besteiras” durante o processo de acumulação de recursos, pois o objetivo foi previamente definido como prioritário.

Pesquise para encontrar bons preços

Se organizar é a indicação para quem quer seguir com um plano como o passeio em dezembro, explica Carol. Começar cedo frequentemente traz a vantagem de encontrar preços mais em conta. Muitas vezes, passagens aéreas, hospedagens e até mesmo atividades turísticas têm valores mais acessíveis quando adquiridos com antecedência, comenta.

+ Dicas financeiras para amigos evitarem brigas em viagens

Ainda segundo a palestrante da Zetra, quem quer viajar em dezembro pode escolher os passeios preferidos de antemão, incluindo também essa estimativa de despesa no orçamento. Muitas vezes é preciso renunciar a parte do roteiro para apreciar com alguma folga de caixa as opções mais desejadas, como um passeio de escuna ou um almoço em um restaurante recomendado por críticos de gastronomia.

Mas quais são as melhores alternativas do mercado financeiro para quem pretender usar o dinheiro dentro de poucos meses? Segundo Carol, deve-se contar com recursos investidos em produtos que ofereçam liquidez justamente para poder usar esse dinheiro a qualquer momento sem comprometer a rentabilidade, inclusive para o caso de surgirem promoções de passagens e hotéis.

Renda fixa é alternativa para viajar

Recorrer a investimentos de renda fixa, que permitem resgates sem perdas quando necessário, é a alternativa mais comum. Na hora de decidir onde investir ou de onde tirar o dinheiro para a viagem, diz Carol, é importante não comprometer os recursos destinados a objetivos de longo prazo (o dinheiro reservado para a aposentadoria, por exemplo) ou a reserva de emergência (que custeia as despesas que surgem diante de uma situação inesperada, como a perda de emprego).

Felipe Garran, professor da FIA Business School, defende que as famílias tenham um investimento específico para pagar pelas viagens de um modo geral. Isso porque, segundo Garran, viajar é um gasto bastante relevante e o seu desembolso tem data marcada.

“O ideal é que a reserva de emergência não seja prejudicada, uma vez que deve atender a necessidades não programadas. A sugestão é que a família possua uma conta de investimento na qual acumule recursos visando a viagem que acontecerá em determinada data, neste caso no final do ano”, indica.

+ Consórcio de viagens vale a pena? Entenda como funciona

Com todas essas dicas, vale lembrar ainda o cuidado com o uso do cartão de crédito. O parcelamento só vale a pena quando o viajante tem uma reserva suficiente para fazer o pagamento da fatura nos meses seguintes. Se houver risco de endividamento, não se deve parcelar, diz Andreza. A despesa com a fatura do cartão de crédito não pode ultrapassar a margem de 30% da renda líquida mensal. 

O parcelamento, para Garran, sempre vale a pena quando não há um grande desconto no pagamento à vista. Além do mais, explica o professor, quando a família ainda não pagou o valor integral, possui um poder de barganha maior na renegociação caso tenha que cancelar ou alterar os seus planos.

Dicas para guardar dinheiro e viajar no fim do ano:

  1. Calcule a despesa total, incluindo transporte, alimentação, passeios e compras.
  2. Avalie se essa despesa cabe no seu orçamento ou se é melhor adiar a viagem.
  3. Parcele no cartão apenas se a fatura não comprometer mais de 30% da renda líquida e se não houver risco de ter de optar pelo crédito rotativo.
  4. Corte despesas desnecessárias antes e durante a viagem.
  5. Investimentos em ativos de renda fixa são uma das recomendações para quem quer guardar dinheiro de agora até o fim do ano.

Tire o dinheiro da poupança e planeje seus objetivos com melhores investimentos! Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias