Notícias

Dólar termina o ano no menor patamar desde agosto; o que esperar da moeda em 2024?

Balança comercial do país em alta, melhores perspectivas para a arrecadação federal e diferencial de juros entre Estados Unidos e Brasil ajudam o real a se valorizar

Dólar. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
O dólar, a moeda dos EUA, é a mais valiosa do mundo. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

O dólar é a principal moeda utilizada nas transações comerciais do planeta e é considerado um porto seguro dos investidores em momentos de incertezas e instabilidades político-econômicas.

Entretanto, em 2023, a moeda americana teve um ano para esquecer. Até terça-feira, 26/12, o dólar somou desvalorização de 8,64% sobre o real. Em números, a cotação da moeda começou o ano em R$ 5,28 e termina no patamar próximo de R$ 4,80.

Os três principais motivos para a valorização da moeda brasileira frente americana em 2023 foram:

  • o recorde da balança comercial;
  • a surpresa positiva de um governo com mais austeridade – com perspectivas de melhora das contas públicas;
  • e o chamado diferencial de juros entre Brasil e outras nações como os Estados Unidos, que se manteve alto, o atraiu capital estrangeiro para o país.

No acumulado de 2023, até a 4ª semana de dezembro, o saldo comercial com outros países era positivo em US$ 95,9 bilhões para o Brasil. Esse é o maior valor desde o início da série histórica em 1989, segundo a Secretaria do Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Secex/Mdic).

A média diária de exportações em dezembro (US$ 1,3 bilhão), avançou 15,2% quando comparada a dezembro do ano passado. O desempenho foi impulsionado pelo avanço dos embarques da agropecuária (20,6%), indústria da transformação (15%) e extrativa (12,6%).

Segundo a chefe de Economia da Rico Investimentos, Rachel de Sá, as contas externas sólidas tendem a sustentar uma moeda valorizada.

“Seguimos atraindo forte fluxo de capital estrangeiro tanto pela via comercial quanto de investimentos, impulsionados – entre outras coisas – pela supersafra agrícola e pela posição relativamente positiva quando comparado a outros emergentes, mais expostos a elevados riscos geopolíticos, como Rússia e Turquia”, explicou.

E o dólar em 2024, o que esperar?

Para o economista, André Perfeito, as perspectivas para a moeda americana em 2024 vão depender dos mesmos fatores que listamos em 2023.

“O superávit comercial recorrente, especialmente por conta da virada na balança de petróleo e derivados que é favorável ao Brasil. E a perspectiva de corte de juros nos Estados Unidos, que se intensificada enfraquece a divisa via diferencial de juros maior”, explica.

O mundo também segue de olho na evolução das contas públicas do país. Segundo o analista, o cenário de crescimento econômico traz uma perspectiva de aumento de arrecadação e diminuição dos problemas fiscais.

“O recente upgrade da nota de crédito pelo S&P também indica a percepção mais benigna com o Brasil e não me surpreenderia em melhoras adicionais da nota o ano que vem”, ponderou.

Dólar: entenda por que ele sobe e desce e como afeta os brasileiros

No último boletim Focus do ano, as instituições financeiras ouvidas pelo Banco Central, projetaram um dólar a R$ 5 no fim de 2024. A analista da Rico está mais otimista e espera que a moeda americana fique em R$ 4,85. 

“Essa projeção não significa que esse será o valor da taxa de câmbio ao longo de todo o ano. Pelo contrário, esperamos que o sobe e desce do dólar siga presente, especialmente diante do alto nível de incerteza nos cenários global e doméstico”, afirma Rachel de Sá.

Já para o economista André Perfeito, o cenário é tão favorável que o dólar pode se desvalorizar ainda mais e chegar até a R$ 4,30.

“Estruturalmente a economia brasileira mudou de patamar no setor externo e isto ficará cada vez mais evidente ao longo do ano que vem”, concluiu.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.