Empresas

B3 divulga resultados financeiros do segundo trimestre de 2023

Maior proximidade do início do ciclo de redução de juros e melhores perspectivas sobre o crescimento da economia influenciam mercado de ações, que começa a dar sinais de retomada. Mercado de derivativos listados apresenta recorde histórico em volume

Painel da B3 mostra cotações das ações e gráfico da tendência do dia.
O principal índice da B3, a Bolsa de Valores do Brasil, encerrou a sessão em baixa de 2,12%

Por Redação B3 Bora Investir

De abril a junho de 2023, a receita total da B3, a Bolsa do Brasil, atingiu R$ 2,5 bilhões, em linha com o segundo trimestre de 2022 e com o primeiro trimestre de 2023. O lucro líquido recorrente foi de R$ 1,2 bilhão, o que representa queda de 4,3% em comparação ao mesmo período do ano passado e queda de 3,9% em relação ao primeiro trimestre.

Os dados de inflação abaixo do esperado estimularam os mercados a precificar o início do ciclo de queda na taxa de juros para o terceiro trimestre do ano, que se concretizou em agosto. A maior clareza sobre as perspectivas macroeconômicas refletiu no mercado à vista de ações, onde o volume financeiro médio diário negociado (ADTV) totalizou R$ 26,9 bilhões, o que representa um crescimento de 6,7% na comparação com o trimestre anterior. Em relação ao mesmo período do ano passado, o número representa queda de 6,7%.

Outro destaque do trimestre foi o desempenho dos derivativos listados. O volume médio diário negociado (ADV) totalizou 6,4 milhões de contratos, 49,5% acima do segundo trimestre de 2022 e 6,3% acima do primeiro trimestre de 2023, refletindo principalmente o desempenho dos contratos de juros em reais, que apresentaram recorde histórico.

Ainda no desempenho operacional, os juros elevados continuaram favorecendo os volumes no segmento de balcão, com destaque para o crescimento de 22,6% no estoque de instrumentos de renda fixa e de 29,8% no estoque do Tesouro Direto, comparado ao mesmo período do ano passado.

+ Quanto custa para fazer um IPO na bolsa e como as empresas se preparam

Ao longo do trimestre, a B3 reafirmou o seu objetivo com a disciplina de custos. As despesas totais apresentaram crescimento de 2,0% e 0,8% em relação ao segundo trimestre de 2022 e ao primeiro trimestre de 2023, respectivamente, somando R$ 859 milhões. As demonstrações financeiras incluem os dados de Neurotech a partir de 12 de maio, já que a aquisição da empresa foi concluída nesta data. Excluindo os efeitos da consolidação da Neurotech, as despesas teriam somado R$ 846,2 milhões, o que representaria 0,4% acima do mesmo período no ano passado e 0,7% abaixo do último trimestre, bem abaixo da inflação.

“Após a conclusão do projeto de eficiência, estamos focados em manter o controle das despesas da Companhia, mas sem comprometer o nosso planejamento de crescimento, que envolve reforçar nosso core business e desenvolver as adjacências de nossos negócios principais”, comenta André Veiga Milanez, diretor-executivo Financeiro, Administrativo e de Relações com Investidores.

No segundo trimestre, a B3 anunciou diversos avanços estratégicos. Em junho, a B3 anunciou o lançamento de uma nova plataforma para emissão, registro e negociação de ativos tokenizados. Em julho, firmou uma nova parceria com a Nasdaq para evoluir a arquitetura tecnológica da plataforma de clearing da Companhia, e também anunciou o lançamento de uma nova plataforma em nuvem para negociação de ativos de renda fixa, visando aumentar a transparência na precificação de ativos e possibilitar maiores volumes e automatização nas negociações.

As distribuições aos acionistas totalizaram R$ 1,2 bilhão no trimestre, sendo R$ 556,1 milhões em recompras, R$ 351,5 milhões em juros sobre capital próprio e R$ 306,6 milhões em dividendos.

+ Quais foram os maiores IPOs da história?

Receita do segmento Listados

No segundo trimestre, o segmento de listados gerou receita de R$ 1,5 bilhão (61,5% do total), o que representa queda de 5,9% em relação ao mesmo período de 2022. No mercado de ações e instrumentos de renda variável, houve queda de 6,7% no ADTV de ações à vista, refletindo um contínuo cenário de taxas de juros elevadas e menor market cap. Os contratos futuros de índices registraram redução de 9,0% no número médio de contratos negociados, resultado explicado pela queda na negociação da versão mini desses contratos.

O número médio de contas na depositária de renda variável aumentou 19,8%. O crescimento é um reflexo de uma oferta pública que atraiu um grande número de pessoas físicas em 2021 e que teve o fim do lock-up no último trimestre de 2022, além da busca contínua dos investidores individuais por maior diversificação em seus portfólios.

Receita do segmento Balcão

O segmento de balcão obteve receita de R$ 365,4 milhões (14,8% do total), o que significa aumento de 14,5% em relação ao segundo trimestre de 2022. O volume de novas emissões de instrumentos de captação bancária cresceu 10,3% no período, puxado principalmente pelo aumento das emissões de CDB, que representaram 75,8% das novas emissões durante o trimestre, enquanto o estoque médio registrado cresceu 11,9%.

Os outros instrumentos de renda fixa registraram crescimento de 40,7% nas emissões, influenciados pelo aumento de 32,1% nas emissões de instrumentos do mercado imobiliário e 38,3% nas emissões de instrumentos do agronegócio. Já o estoque médio de instrumentos de dívida corporativa aumentou 16,1%. Outro destaque do mercado de renda fixa foi o contínuo crescimento do Tesouro Direto, cujo número de investidores e o estoque médio cresceram 12,1% e 29,8%, respectivamente.

Receita do segmento Infraestrutura para Financiamento

O segmento Infraestrutura para Financiamento obteve receita de R$ 112,8 milhões (4,6% do total), o que representou aumento de 1,9%, principalmente em razão do aumento nos financiamentos e vendas de veículos no período. O número de veículos vendidos no Brasil subiu 7,1%, refletindo uma melhora desse mercado devido ao crescimento nas vendas de motos. Já em relação aos financiamentos, o crescimento foi de 4,2%, protagonizado também pelo financiamento de motos.

Receita do segmento Tecnologia, Dados e Serviços

O segmento Tecnologia, Dados e Serviços teve receita de R$ 473,3 milhões (19,1% do total), alta de 8,0% em relação ao segundo trimestre de 2022. A quantidade média de clientes do serviço de utilização mensal dos sistemas de balcão aumentou 9,9%, resultado, principalmente, do crescimento da indústria de fundos no Brasil. Houve também crescimento de 6,2% no número de clientes que utilizam os serviços de co-location.

O documento com as informações completas sobre os resultados operacionais para o segundo trimestre de 2023 está disponível no site de RI da B3.

+ O que as empresas fazem com o dinheiro captado no IPO?

https://youtube.com/watch?v=B6iOqL-mZlI%3Ffeature%3Doembed%26enablejsapi%3D1%26origin%3Dhttps%253A%252F%252Fborainvestir.b3.com.br

Venha aprender mais sobre como investir em ações. Acesse este curso gratuito do Hub de Educação da B3 e fique por dentro disso e mais!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias