Notícias

Fed indica ritmo menor de alta dos juros nos EUA; Ibovespa reduz perdas, mas fecha no negativo

Bolsa do Brasil (B3) encerrou a quarta-feira em leve queda de 0,18% aos 108.841 pontos. O dólar comercial caiu 0,10%, a R$ 5,37

Tela digital exibindo números
No Brasil, as negociações da PEC da transição estão empacadas por falta de apoio político. Foto: Adobe Stock

Por Redação B3 Bora Investir

O bom humor nos mercados globais até ajudou a Bolsa do Brasil (B3) a diminuir as perdas no fim do pregão, mas o peso das preocupações fiscais aqui no Brasil impediu que o Ibovespa fosse para o campo positivo.

Nos Estados Unidos, o mercado financeiro se animou ainda mais depois da divulgação da ata mais recente da reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed). No documento, as autoridades do banco central americano revelaram que veem uma redução no ritmo das altas de juros após quatro altas consecutivas de 0,75 ponto percentual.

No Brasil, as negociações da Proposta de Emenda à Constituição (PEC da Transição) -que abre espaço no Orçamento de 2023 para bancar o Bolsa Família fora do teto de gastos -estão empacadas por falta de apoio político. Não há um consenso entre os parlamentares sobre por quanto tempo o programa social seria retirado da regra fiscal. Diante da falta de acordo, a apresentação do texto final será adiada mais uma vez.

O Ibovespa fechou a quarta-feira, 23/11, em baixa de 0,18%, aos 108.841 pontos. Nos Estados Unidos, o Dow Jones encerrou em alta de 0,28%, o S&P 500 avançou 0,59% e o Nasdaq subiu 0,99%. No câmbio, após operar durante a maior parte do dia em alta, o dólar comercial virou e encerrou em queda de 0,10%, a R$ 5,37. O índice DXY, que mede o desempenho da moeda americana contra uma cesta de outras seis divisas principais, também fechou no negativo: -1,04%.

Ata do Fed

Na reunião do início de novembro, os integrantes do Fed concluíram que em breve seria apropriado desacelerar o ritmo dos aumentos das taxas de juros – sinalizando que o banco central estava inclinado a elevar as taxas em 0,50 ponto percentual em dezembro, conforme já precificado pelo mercado.

“A maioria substancial dos participantes julgou que uma desaceleração no ritmo de crescimento provavelmente seria apropriada em breve”, diz a ata da reunião de 1º a 2 de novembro e que foi divulgada hoje. Segundo a ata, os integrantes do Fed concluíram ainda que “o nível final da taxa de fundos federais que seria necessário para atingir as metas do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) era um pouco mais alto do que eles esperavam anteriormente”.

Nas últimas quatro reuniões, o banco central americano elevou os juros em 0,75 pontos percentuais. A taxa nos Estados Unidos hoje está no intervalo entre 3,75% e 4%. Esse foi o maior aperto monetário americano em 42 anos. O Fed tem subido os juros americanos para conter a inflação que está no maior patamar em quatro décadas.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.