Mercado

Ibovespa volta a fechar em forte queda com risco fiscal no radar

Mercado ainda repercute sinalizações ruins do novo governo quanto a política de gastos públicos. Dólar fecha no maior valor em seis meses

O Ibovespa encerrou em queda de 2,08%, aos 104.165 pontos, e pelo segundo dia consecutivo, os papéis da Petrobras tiveram perdas.

Por Redação B3 Bora Investir

A Bolsa do Brasil (B3) voltou a fechar em forte queda nesta terça-feira, 03/01, diante das preocupações dos investidores sobre a responsabilidade fiscal do novo governo. Os principais acontecimentos que ajudam a entender mais um dia ruim no mercado financeiro são:

1. As declarações do ministro da Previdência, Carlos Lupi (PDT), que defendeu que a reforma da previdência – chamada por ele de “antirreforma” – fosse rediscutida. A fala, segundo analistas, aumenta os temores ligados ao campo fiscal. A declaração se refere às regras aprovadas em 2019, no primeiro ano do governo Bolsonaro. Lupi disse também que pretender provar que a previdência não é deficitária;

2. O ministro do Trabalho, Luiz Marinho (PT), disse que o governo não irá revogar a legislação trabalhista – aprovada no governo de Michel Temer. Mas afirmou que será preciso “mexer” em alguns pontos e “construir um novo marco no mundo do trabalho”. Segundo Marinho, essa reforma será realizada de forma “fatiada”;

3. A desoneração dos impostos federais sobre os combustíveis por mais dois meses. Segundo medida provisória (MP), a renúncia do governo vai diminuir a arrecadação em R$ 25 bilhões neste ano.

Diante dessas declarações do novo governo, o Ibovespa encerrou em queda de 2,08%, aos 104.165 pontos. Pelo segundo dia consecutivo, os papéis da Petrobras tiveram perdas. As ações preferenciais (PETR4) caíram 2,36%, e as ordinárias (PETR3) menos 0,96%.

O resultado da estatal foi influenciado pela preocupação dos investidores com as possíveis mudanças na política de preços da companhia e pela queda de 4% da cotação do petróleo no mercado internacional.

No câmbio, o dólar comercial fechou no maior valor em seis meses. A moeda americana subiu 1,75% e fechou cotada a R$ 5,45. Além das preocupações internas com as contas públicas, a moeda americana está globalmente valorizada diante de uma nova alta dos juros pelo Federal Reserve – esperada pelo mercado.

Petróleo

Os contratos para março do barril de petróleo do tipo Brent – referência internacional – despencaram 4,4%, a US$ 82,10. O WTI – referência americana – se desvalorizou 4,1%, a US$ 76,93.

O impacto do aumento de casos de Covid na China, se soma aos receios de que uma recessão global – causada pelo aperto monetário em diversas economias desenvolvidas – pode impactar a demanda pela commodity.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias