Mercado

Mercado financeiro hoje: Campos Neto, vendas no varejo e balanços de big techs no radar

Campos Neto deve apresentar explicações sobre o patamar da Selic em 13,75% ao ano, alvo de críticas do governo

Fachada B3.
Fachada da B3: veja como a bolsa funcionará nos feriados ao longo do ano

Os investidores vão dividir as atenções hoje entre vários indicadores locais, como vendas no varejo, transações correntes e arrecadação federal.

Mas o foco da agenda nacional é a audiência pública com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

Os destaques na agenda internacional são a sondagem do consumidor dos Estados Unidos em abril e balanços do primeiro trimestre das “giant techs” americanas Alphabet e Microsoft após o fechamento do mercado.

A expectativa em relação aos resultados das empresas de tecnologia resultados são altas, dizem analistas da corretora Guide, em relatório. Isso porque eles têm puxado os índices americanos e sustentado níveis de preços elevados, apesar do início de ano turbulento e a manutenção de juros mais altos.

Antes da abertura do mercado, os balanços da 3M, GE, GM, McDonald´s, PepsiCo e Spotify estão entre os destaques.

No exterior

Os investidores estão sustentando um grau mais elevado de cautela neste início de semana, reavaliando a situação dos bancos regionais nos EUA após o First Republic bank divulgar seus números e ver suas ações despencarem mais de 20% no after-market, dizem analistas da Guide, em relatório.

Entre os balanços na Europa divulgados nesta segunda-feira, o Santander lucrou mais que o esperado no 1º trimestre, mas as provisões aumentaram. Já o UBS frustrou as expectativas de lucro e receita.

+ Relembre a semana em 7 fatos ou frases que marcaram o mercado financeiro

Na Ásia a bolsa da Coreia do Sul recuou mais de 1%, após o crescimento anual de 0,8% do PIB do país no primeiro trimestre, abaixo do 1% esperado por analistas.

O índice Nikkei em Tóquio foi exceção e subiu levemente, reagindo a comentários do presidente do Banco do Japão, Kazuo Ueda. O presidente disse ser apropriado continuar a flexibilização monetária com o atual controle da curva de juros.

No Brasil

O ambiente externo negativo pode afetar o desempenho do Ibovespa, assim como o resultado das vendas no varejo no País e balanços, como do Santander Brasil.

Os mercados de juros e de câmbio vão repercutir também os números do setor externo e de arrecadação federal, enquanto monitoram o presidente do BC na CAE.

Campos Neto deve apresentar explicações sobre o patamar da Selic em 13,75% ao ano, alvo de críticas do governo. Também falará a respeito do erro nos dados de fluxo cambial do País em 2021 e 2022, que foram revisados e tiveram saldo negativo nas transações em moeda americana. A autoridade monetária havia apontado anteriormente que o saldo havia sido positivo.

*Com informações da Agência Estado

Quer conhecer mais sobre o mercado de ações brasileiro? Confira esse curso oferecido pela B3.