Mercado

Mercados financeiros hoje: fala de Powell sobre juros fortalece dólar

Ontem, presidente do Fed voltou a afirmar que um corte na taxa de juros americana em março "não é o mais provável"

Bolsa de valores
Bolsa de valores

Por Redação B3 Bora Investir

A semana marca a retomada das atividades no Congresso, após o recesso parlamentar, além das divulgações do IPCA, ata do Copom, volume de serviços, vendas no varejo, setor público consolidado e balanços dos bancos Itaú Unibanco, Bradesco e Banco do Brasil. Lá fora, são esperados os índices de gerentes de compras (PMIs) composto e de serviços dos EUA, encomendas à indústria da Alemanha, vendas no varejo da zona do euro e discursos de vários dirigentes do Fed. Entre os balanços estão os da BP, UBS e Ford. Na China, são esperados os índices de preços ao consumidor (CPI) e ao produtor (PPI).

Selic em queda e aumento das receitas melhoram perspectiva para crédito privado, diz sócio da Jive

No exterior, investidores ajustam posições após sinais de que juros não devem cair em março

A curva de juros dos EUA e o dólar se fortalecem nesta manhã, após o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, reiterar ontem que um corte na taxa de juros americana em março “não é o mais provável”. Na semana passada, o BC americano manteve os juros entre 5,25% e 5,50% ao ano e avisou que só cortará a taxa básica quando estiver confiante de que a inflação caminha de forma sustentada para a meta de 2% ao ano. Na sexta-feira, a diretora do Fed Michelle Bowman disse, por sua vez, que continua favorável a novas elevações de juros no futuro, caso se faça necessário.

Títulos imobiliários e agrícolas, como CRI, CRA, LCA e LCI, têm novas regras aprovadas pelo CMN

Na Europa, os mercados também reagem a indicadores e balanços. O PMI de serviços da Alemanha caiu de 49,3 em dezembro para 47,7 em janeiro, atingindo o menor nível em cinco meses e abaixo da linha de 50, o que indica contração da atividade. O PMI serviços da zona do euro recuou de 48,8 para 48,4 em janeiro, enquanto o PMI composto avançou de 47,6 em dezembro para 47,9 em janeiro, atingindo o maior nível em seis meses, mas ainda no patamar de contração. No Reino Unido, o PMI de serviços subiu de 53,4 em dezembro para 54,3 em janeiro, atingindo o maior nível desde maio de 2023, bem acima da leitura preliminar e da projeção de analistas, de 53,8 em ambos os casos.

No Brasil, foco se volta para o Congresso

A percepção de que os juros americanos não devem cair logo coloca os futuros de NY em baixa, enquanto os yields dos Treasuries e dólar sobem. Essa cautela deve pesar no Ibovespa, na curva de juros futuros e sobre o real. O EWZ, principal fundo de índice (ETF, na sigla em inglês) brasileiro negociado em NY, caía 0,21% no pré-mercado.

Declaração anual do MEI e Imposto de Renda 2024: quem deve emitir?

Os ADRs da Petrobrás cediam 0,6% em meio à queda do petróleo e os da vale subiam 0,08%, apesar do recuo de 0,63% do minério de ferro hoje em Dalian, na China.

As atenções esta semana se voltam para o Congresso. No retorno das atividades, projetos que interferem na atuação dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) devem entrar na pauta em mais uma etapa do embate do Congresso com a Corte. Prestes a entrar em recesso, o Senado aprovou em novembro uma PEC que limita o poder de decisões monocráticas de ministros do STF.

*Agência Estado

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.