Notícias

Petróleo mais caro por causa da guerra entre Israel e Hamas pode reduzir PIB mundial

FMI calcula que avanço de 10% no preço da commodity pode reduzir crescimento global em 0,15% e elevar a inflação mundial em 0,4%. Petróleo passa por correção nesta terça-feira

Petróleo, Opep. Foto: Pixabay
Os contratos futuro de petróleo para dezembro abriram a sessão de hoje em leve queda. O movimento é considerado uma correção técnica, após o barril ter subido mais de 4% ontem. Foto: Pixabay

Por Redação B3 Bora Investir

A aversão ao risco ainda impera no mercado financeiro mundial diante das incertezas trazidas pela guerra entre Israel e o grupo terrorista Hamas.

Apesar de uma melhora no cenário de curto prazo, com o não espalhamento do conflito para outras regiões do Oriente Médio, a guerra pode trazer consequências para a economia mundial, impactada pelos juros elevados e à invasão da Ucrânia.

Um relatório divulgado nesta terça-feira, 10/10, pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) apontou que o Produto Interno Bruto (PIB) mundial deve crescer 3% neste ano, ritmo mais lento que o avanço de 3,5% em 2022.  

Esse menor crescimento da economia pode ser ainda mais prejudicado pelo impacto da escalada na violência entre Israel e o Hamas, diante do efeito direto do conflito nos preços do petróleo.

Segundo cálculos do economista-chefe do FMI, Pierre-Olivier Gourinchas, um aumento de 10% nos preços do petróleo reduziria o crescimento do PIB global em 0,15% e elevaria a inflação em 0,4%.

“Vimos isso em crises e conflitos anteriores. E, claro, isso reflete o potencial risco de que possa haver perturbação na produção ou no transporte de petróleo na região”, afirmou Pierre durante uma entrevista para apresentar o Panorama Econômico Mundial.

Sobre outras consequências econômicas advindas da guerra entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza, Pierre-Olivier Gourinchas afirmou que ainda é “muito cedo para avaliar”, e que a situação é “monitorada de perto” pelo FMI.

“Penso que temos que ser cautelosos. Ainda é muito cedo para realmente avaliar qual poderá ser o impacto [da guerra]”.

Preços do barril de petróleo

Os contratos futuro de petróleo para dezembro abriram a sessão de hoje em leve queda. O movimento é considerado uma correção técnica, após o barril ter subido mais de 4% ontem.

Às 11h, barril do Brent, referência global, estava em leve queda de 0,87%, a US$ 87,38. Já o WTI, referência americana, também com entrega para dezembro era cotado em baixa de 0,53%, a US$ 84,15.

A principal preocupação dos investidores é se o conflito vai ficar restrito a Israel e a Faixa de Gaza ou pode se propagar para outras regiões do Oriente Médio, grandes produtoras de petróleo.

O Irã, por exemplo, é um importante produtor mundial da commodity e um ferrenho apoiador do grupo terrorista Hamas. O país também tem relações conturbadas com os Estados Unidos, principal aliado de Israel, o que poderia restringir embarques.

Economia mundial e do Brasil

Apesar da guerra na Ucrânia, dos juros ainda em patamares elevados para controlar a inflação e os efeitos da pandemia de Covid-19, o economista-chefe do FMI disse que a economia mundial tem demonstrado uma “notável resiliência”,            

Para o Brasil, o FMI acredita que o PIB deve avançar 3,1% em 2023, ante 2,1% no relatório divulgado em julho. Para o ano que vem, o crescimento deve ser mais modesto, na casa de 1,5%.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.