Objetivos financeiros

Open Banking: o que é, como funciona e vantagens para o investidor

Sistema financeiro aberto quer revolucionar relacionamento entre clientes e serviços financeiros

Mulher acessando site do banco central, onde apresanta informações sobre o openbanking. Foto: Adobe Stock
O sistema já foi implantado no Reino Unido e na Austrália, mas ainda é uma novidade no mundo. Foto: Adobe Stock

Considerado um dos principais avanços no sistema financeiro brasileiro dos últimos anos, junto ao Pix, o Open Banking ou ‘Banco Aberto’ é a aposta para modernizar a relação das pessoas com as instituições financeiras.

O sistema já foi implantado no Reino Unido e na Austrália, mas ainda é uma novidade no mundo. Ele traz a possibilidade de clientes permitirem o compartilhamento de suas informações financeiras entre diferentes instituições e a movimentação de suas contas bancárias a partir de diferentes plataformas – e não apenas pelo aplicativo ou site do banco, como é hoje.

O compartilhamento de informações só acontece com a permissão de cada correntista. Uma vez autorizado, os dados ficam acessíveis a outras instituições financeiras em um ambiente seguro, regularizado pelo Banco Central. O cliente, a qualquer momento, pode mudar de ideia e cancelar o compartilhamento.

O papel do sistema financeiro aberto é incentivar um aumento da qualidade e uma redução dos custos dos produtos e serviços financeiros. Com o compartilhamento, é possível esperar serviços mais personalizados de forma menos burocrática.

Isso não significa, porém, que as informações podem ser disponibilizadas a qualquer um e sem proteção – as instituições ainda têm a responsabilidade de proteger a confidencialidade e o sigilo dos dados dos usuários.

Para criar esse ambiente compartilhado, mas seguro, são usadas as chamadas APIs (Application Programming Interface), sistemas que permitem que soluções e produtos sejam criados de forma compatível com outras plataformas. Isso agiliza a evolução e permite o surgimento de soluções melhores para as necessidades dos clientes.

Quais as vantagens do Open Banking?

Não existe um único modelo de Open Banking – trata-se de um sistema novo e diversos países no mundo estudam formas de implementá-lo. Mas, de forma geral, os princípios básicos do sistema dão as seguintes vantagens aos clientes:

Mais liberdade e autonomia: hoje, a burocracia interna das instituições é uma barreira na hora, por exemplo, de mudar de banco, e, ao migrar, pelo menos parte das informações se perde. Isso é resolvido com o novo sistema;

Menos custos

A facilidade de incluir novas ferramentas sem ferir o sigilo bancário por meio das APIs torna o sistema mais integrado. É possível, então, minimizar intermediários e tornar os processos mais rápidos e baratos, já que não será necessário contratar serviços de personalização e soluções acessórias;

Mais competição

Com acesso aos dados dos usuários, instituições participantes poderão fazer ofertas de produtos e serviços com benefícios para o consumidor, que poderá obter tarifas mais baixas e condições mais vantajosas.

Melhor experiência no uso de produtos e serviços financeiros

Torna mais simples para os clientes visualizar e controlar sua vida financeira. Quem, por exemplo, tem mais de uma conta bancária, com investimentos em diferentes bancos e corretoras e empréstimo em outras, poderá ver todas as suas informações em um único local.

Calendário do Open Banking no Brasil

O lançamento do novo sistema foi iniciado em fevereiro de 2021, com quatro fases lançadas já em 2021. Para 2022, pelo menos 5 outras etapas estão programadas.

  • Fase 1: Foram abertos os dados das instituições participantes, seus canais de atendimento e os produtos e serviços que oferecem, como contas de depósito à vista, poupança, pagamento e operações de crédito. Essa 1ª fase não envolveu o compartilhamento de dados de clientes;
  • Fase 2: Na segunda fase, que aconteceu em agosto, o cliente começou a poder compartilhar seus dados pessoais de cadastro, como nome completo, CPF/CNPJ, telefone, endereço e dados de transações relativas aos produtos e serviços de suas contas. Tudo isso acontece somente com a autorização da pessoa;
  • Fase 3: Em outubro, iniciou-se a possibilidade de pagamento fora do ambiente do banco via Pix. Clientes têm acesso a serviços como pagamentos e propostas de crédito por um aplicativo de mensagem, por exemplo;
  • Fase 4: A última do ano entrou no ar em dezembro e tornou possível o compartilhamento de outros dados de produtos e serviços, como informações relacionadas a operações de câmbio, investimentos, seguros e previdência.

Programação para 2022

Em 2022, o Open Banking avança principalmente nos serviços e compartilhamentos de modo de pagamento, com transferência entre bancos, TED, boleto e débito em conta sendo unidos ao Pix, lançado na fase 3. Também haverá evolução das fases 2 e 4.

  • 15 de fevereiro: Compartilhamento de serviços e transferências entre contas do mesmo banco e TED para pagamentos;
  • 30 de março: Compartilhamento do envio de propostas de operações de crédito a clientes que aderirem ao Open Banking. Nesta fase os clientes poderão receber propostas de empréstimo e financiamento das empresas com quem compartilharam seus dados na fase 2;
  • 31 de maio: Após o compartilhamento de dados das empresas na fase 4, chega a vez de os clientes poderem compartilhar suas informações sobre demais operações financeiras, como câmbio, investimentos, previdência e seguros;
  • 30 de junho: Compartilhamento de serviços de pagamento por boleto;
  • 30 de setembro: Compartilhamento de serviços de débito em conta.

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias