Organizar as contas

É golpe! Aprenda a fugir dos ataques ao Pix, cartão e investimentos

Combinar os filtros tecnológicos disponibilizados pelos agentes financeiros e ter cuidado para evitar a abordagem de criminosos são as melhores formas de evitar prejuízo

Fonte: iStock
Fonte: iStock

Por Paula Pacheco, especial para o Bora Investir

As pesquisas sobre a segurança digital indicam o risco: os brasileiros estão entre os mais expostos quando se trata de golpes online.

O relatório ‘Novo panorama de ameaças de 2023’, por exemplo, divulgado em setembro pela Kaspersky, aponta que o Brasil ocupa o primeiro lugar na América Latina em ataques a dispositivos móveis (celulares e tablets) e fica com a quinta posição no ranking global.

Os golpes podem servir para ‘fisgar’ dados pessoais e depois vendê-los para cadastros criminosos ou, ainda mais grave, acessar as informações financeiras – por exemplo, via e-mail, SMS, ligação telefônica ou WhatsApp.

Quanto custa um seguro para celular e quais empresas oferecema

Atenção ao WhatsApp

O WhatsApp, plataforma de troca de mensagens preferida dos brasileiros, tem sido usado nos últimos meses como isca para instalar um vírus que desvia o Pix por meio de operações remotas.

Um dos recursos usa links maliciosos que aparecem na busca quando o usuário pesquisa o termo ‘WhatsApp Web’ no Google. Basta um clique para chegar a uma página que pede para baixar um arquivo infectado. É a porta de entrada para interceptar transações feitas por meio do internet banking, por exemplo.

+ 4 golpes online no celular em 2023 e como se proteger deles

Investimentos

Presidente da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs), Diego Perez salienta que todo serviço financeiro, seja ele de pagamentos, de crédito ou de investimentos, está exposto a riscos. “Nesse sentido, sim, os poupadores e investidores também estão sujeitos a golpes. Por isso, é preciso que todos estejam atentos para evitar que eles ocorram”.

Além de buscar a vulnerabilidade em operações com cartão de crédito e Pix, os golpistas miram em formas de chegar aos investimentos das vítimas.

+ Como proteger seus investimentos contra golpes? Veja aqui!

Com a digitalização das carteiras de investimentos, que passaram a ser acessadas de dentro dos aplicativos, os investimentos também correm risco, alerta Gabriel Scherer, sócio e head da Unidade de Antifraude e Onboarding da QI Tech.

“Uma vez que os fraudadores conseguem invadir ou roubar um smartphone, eles passam também a ter acesso aos investimentos e, em questão de cliques, podem liquidar uma aplicação em um fundo de investimentos, por exemplo, e transferir o dinheiro para uma conta fraudada”, explica Scherer. Por isso, segundo o executivo, é importante que as plataformas de investimento também adotarem mecanismos de segurança.

Como proteger seu dinheiro

Mesmo os mais cautelosos estão expostos a golpes. Como diz Scherer, sempre haverá risco. No entanto, é possível minimizá-los.

“Utilizando todos os mecanismos de proteção que os bancos oferecem e tendo bastante cuidado ao utilizar o smartphone, é possível ter em sua conta um ambiente bastante seguro”, orienta o executivo da QI Tech.

Outro ponto importante, segundo o executivo, é estar sempre atento a ligações, e-mails e SMS de números desconhecidos, que normalmente são tentativas de golpes.

O presidente da ABFintechs orienta para o uso de camadas adicionais de autenticação e validação das transações financeiras nos aplicativos e plataformas que oferecem este tipo de serviço.

O mais importante, no entanto, é adotar as mesmas medidas nos dispositivos em que o você acessa as suas finanças, observa Perez. Ferramentas como validadores biométricos, validação de transação por meio de dois fatores de autenticação e o uso de senhas e contra-senhas reduz bastante o risco de fraudes.

Veja os deslizes mais comuns

 – Acreditar e engajar com oportunidades de investimento em que os retornos anunciados são altíssimos e que prometem baixo risco envolvido. Anúncios com oportunidades “imperdíveis” de investimento são feitos em sua maioria por fraudadores e golpistas, que se aproveitam do pouco ou baixo conhecimento em finanças do brasileiro médio para aplicar golpes.

– Esquemas de “ganhe dinheiro fácil” ou que anunciam retornos financeiro garantidos também devem ser olhados com desconfiança, uma vez que a melhor estratégia de investimento é aquela construída com planejamento, com ganhos reais e consistentes no longo prazo.

– Ter a disposição para interagir e conversar. Os fraudadores usam essa abertura para persuadir os usuários com narrativas convincentes ou promessas de retornos financeiros acima da média, obtendo acesso às contas. Portanto, é essencial evitar qualquer interação com contatos suspeitos e manter uma vigilância constante ao lidar com informações bancárias, investimentos e cartões. 

Como a exposição ao risco é inevitável, a dica do representante das fintechs é estar atento com as medidas de segurança e tentar evitar se colocar em situações em que o  risco possa ser potencializado. 

Organize suas finanças e abra espaço no orçamento para investir. Veja como neste curso gratuito.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.