Organizar as contas

Recebeu uma ligação do banco e não sabe se é golpe? Na dúvida, não dê informações

Especialistas em cibersegurança dão dicas de como não cair em golpes e alertam: o lado humano é o mais frágil

segurança
segurança

Por Daniela Frabasile

Os ataques feitos usando a chamada engenharia social têm aumentado no Brasil e em toda a América Latina.

Atualmente, um terço de todos os casos de fraude é desse tipo, segundo levantamento da empresa BioCatch, uma empresa especializada em biometria comportamental e que tem como clientes grandes instituições financeiras globais como HSBC, American Express, Barclays, Banco Safra e Itaú.

São aqueles roubos feitos com o auxílio da tecnologia, mas em que o fraudador usa as informações fornecidas pelo próprio usuário em uma ligação falsa, por exemplo. Os criminosos usam várias táticas para enganar as vítimas e fazer com que elas revelem senhas ou códigos de segurança. Eles podem fingir que são funcionários do banco ou agentes de atendimento ao cliente para obter informações confidenciais.

E o pior é que essas fraudes têm ficado cada vez mais sofisticadas. Se uma década atrás a ligação vinha de um orelhão, hoje os números que aparecem no celular de quem recebe o telefonema têm o prefixo 0800. Outra tática é usar golpes de voz para enganar as vítimas.

Como proteger seus aplicativos e dados bancários no celular em 5 passos

O comportamento no centro das atenções

“O elo mais frágil na situação continua sendo o usuário. Junto com a tecnologia para prevenção, é importante investir em educação e conscientização do público”, afirma Bastian Flores, consultor de análise de ameaças da BioCatch.

“O principal desafio é que os fraudadores estão mais ágeis, e precisamos desenvolver as ferramentas para lidar com a escala e complexidade cada vez maior”, complementa Arnaldo Thomaz Neto, country manager da BioCatch no Brasil.

A principal dica para escapar de fraudes é: se desconfiar, não compartilhe nenhum dado. “As pessoas serão atacadas em algum momento. Um sinal para ficar de olho é que normalmente, os fraudadores pedem alguma informação, ou pedem para que você faça uma ligação e te dizem o número. Os bancos também costumam enviar mensagens falando sobre compras, mas normalmente, são mais informativos e não te pedem uma informação específica,” diz Flores.

4 golpes online no celular em 2023 e como se proteger deles

O relatório da Biocatch traz algumas dicas para evitar cair em fraudes. Confira

Não anote PINs e senhas em seu celular, nem utilize a uma senha que é usada para outra função no telefone, como para desbloquear a tela.

Entre em contato diretamente com seu banco caso suspeite de alguma fraude ou se tiver dúvidas de segurança. Busque o número oficial da instituição financeira, e não ligue para números suspeitos que potenciais golpistas tenham enviado por mensagem ou e-mail.

 – Se seu celular tiver essa função, use identificação facial ou por impressão digital, que tendem a ser mais seguras do que a senha.

Habilite a autenticação de dois ou três fatores em todos os aplicativos financeiros.

– Tem mais de um aplicativo bancário ou que tenha dados sobre sua vida financeira? Use senhas e PINs diferentes em cada um deles.

Monitore suas contas e verifique regularmente os extratos bancários. Configurar alertas para as transações é outra sugestão.

Gostou desse conteúdo? Acesse o Hub de Educação da B3 para ter acesso a cursos gratuitos sobre como lidar com seu dinheiro e investir melhor!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.