Organizar as contas

Retrospectiva financeira: como fazer um balanço das suas finanças no ano

Fazer um balanço das finanças pessoais no ano traz diagnósticos importantes para a saúde financeira no próximo ciclo

Foto: Pexels
Foto: Pexels

Por João Paulo dos Santos

O fim do ano chegou e a hora de fazer as retrospectivas e balanços do que aconteceu também. Vale para saúde, relacionamentos, âmbito profissional… e também para a vida financeira. O fechamento de um ciclo é tempo propício para avaliar suas finanças, entender o que deu certo e o que não deu e começar a planejar o próximo ano.

“O balanço financeiro nada mais é do que uma lista de todas as entradas e saídas, o que aconteceu, como entrei e como saí financeiramente do ano de 2023”, afirma Larissa Frias, planejadora financeira do C6 Bank.

Para Frias, essa retrospectiva é importante para que a pessoa tenha um resumo do que aconteceu e de como ela pode eventualmente mudar daqui para frente. É uma forma de entender o comportamento dela mesma em relação às finanças, com que tem gastado mais, por exemplo, ou se tem conseguido poupar dinheiro.

Como fazer o balanço financeiro do ano?

Como dito, o balanço financeiro nada mais é do que a lista dos gastos e ganhos do ano. Para isso, Marlon Glaciano, planejador financeiro e especialista em finanças, aconselha começar com uma lista de todas as suas despesas e compromissos financeiros um a um sem se importar em avaliar todos os gastos.

Depois disso, classifique cada uma das despesas como obrigatória e não obrigatória para, aí sim, analisar os itens, especialmente os não obrigatórios que podem ter o valor ajustado e/ou cortados.

A planejadora financeira do C6 Bank ainda aconselha que essa lista seja feita de várias formas, desde a maneira mais simples e tradicional, com um caderno, papel e caneta, até com planilhas mais elaboradas. “O importante é que a pessoa seja o mais fiel e detalhista possível”.

O que deve ser avaliado nas finanças?

Para Glaciano, para considerar as finanças pessoais de alguém como saudável é essencial ter em mente que não é possível que as despesas excedam 70% da receita. 

“Também é importante anualizar o valor das suas despesas e projetar o seu fluxo mensal para o próximo ano e leve em consideração as despesas que são anuais como impostos, seguros, entre outros, já designando um pote de acumulação para elas”.

Já Frias aponta que, se o dinheiro está faltando, é necessário fazer um plano de ação. Com o balanço feito é possível ter mais clareza sobre quais são os principais gastos e onde seria possível cortar. Mas, se está sobrando dinheiro, a ideia é pensar: o que está sendo feito com esse excedente?

“Faça esse diagnóstico e ponha no papel seus objetivos por prioridade. Esse cruzamento entre os dados do comportamento como consumidor e o que se tem de objetivo para os próximos anos é crucial para que qualquer pessoa consiga planejar o ano de uma forma mais tranquila, mais organizada.

Dicas para controle de finanças

De acordo com a planejadora financeira, quando se faz um acompanhamento mensal das finanças, torna-se muito mais fácil fazer e avaliar esse balanço no final do ano. 

Ela ainda alerta que o principal erro cometido é quando a pessoa acha que o planejamento precisa ser feito apenas uma vez no ano. “Não é assim que funciona. O planejamento, o acompanhamento, tem que ser contínuo”.

“O ideal é que esse planejamento seja mensal, já que a maioria das pessoas hoje recebe renda mensalmente ou em uma periodicidade que seja adequada para o fluxo de recebimento daquela pessoa. O importante é que esse planejamento seja contínuo, que a pessoa crie esse hábito de acompanhar as suas entradas e saídas dentro de uma tabela, uma planilha”, aponta.

Para o próximo ano, a especialista em finanças destaca que o principal ponto é anualizar os valores projetados das suas despesas e receitas já que o balanço dá uma visão clara da provisão de entradas e o custo médio das suas despesas.

“Desta forma, projete sua acumulação mensal não apenas para as contas do mês, mas para a projeção do seu custo anual. Para os pagamentos anuais, acumule mês a mês 1/12 avos do valor. Desta forma é possível provisionar o pagamento e evitar uma possível necessidade de tomada de crédito”, completa.

Para continuar aprendendo sobre finanças pessoais, que tal ter acesso a um material completo? O Hub da B3 disponibiliza um curso de finanças pessoais que pode te ajudar a dar os primeiros passos rumo a uma organização financeira que realmente dá certo.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias