Renda fixa

Quanto rendem R$ 20 mil em renda fixa com a Selic em 10,50%

Mudanças na Taxa Selic afetam diretamente rendimentos de investimentos em renda fixa

Cofres de porquinhos enfileirados. Foto: Pixabay
É importante sempre se manter atento a taxas e impostos, na hora de escolher um investimento. Foto: Pixabay

Na última quarta-feira, 8 o Copom (Comitê de Política Monetária) do Banco Central (BC) anunciou uma redução da Selic em 0,25 ponto porcentual, levando a taxa a 10,50% ao ano. E essa mudança afeta diretamente os investimentos em renda fixa.

Por ser a taxa básica de juros do Brasil, a Selic serve como referência para aplicações de renda fixa do País. Ela impacta instantaneamente a rentabilidade de títulos pós-fixados que acompanham a Selic, como títulos do Tesouro Direto, e os que acompanham o CDI, como é o caso de CDBs pós-fixados.

Com isso, o Bora Investir simulou quanto renderiam R$ 20 mil no Tesouro Selic, CDBs, e outros ativos com a Selic a 10,50% ao ano. Para os resultados, foi utilizado o próprio Simulador do TD, com os valores finais, líquidos, em 15 de maio de 2029.

Confira quanto rende R$ 20 mil em 5 anos na renda fixa:

InvestimentoRentabilidade bruta (a.a.)Valor bruto de resgate (R$)Rentabilidade líquida (a.a.)Valor líquido de resgate (R$)
Tesouro IPCA+ 20299,92%32.069,918,42%29.946,07
Tesouro Selic 20298,82%29.975,707,52%28.307,36
LCI/LCA6,34%27.184,746,34%27.184,74
Poupança6,19%26.999,046,19%26.999,04
Fundo DI7,23%28.335,336,13%26.912,81
CDB7,05%28.100,086,10%26.885,07
Fonte: Simulador do Tesouro Direto

Como pode-se ver na tabela, os títulos do Tesouro levam vantagem nos rendimentos, mesmo com a tributação sobre eles. O Tesouro IPCA+ para 2029 teria um resgate de R$ 29.946,07, um um rendimento líquido de quase R$ 10 mil. Já o Tesouro Selic 2029 renderia R$ 8.307,36, totalizando um resgate de R$ 28.307,36.

Na sequência vêm os investimentos em LCI/LCA e poupança, que beneficiados pela isenção do imposto de renda superam o rendimento líquido de outros ativos como Fundo DI e CDB

Por isso, é importante sempre se manter atento a taxas e impostos na hora de escolher um investimento. Só assim, poderá escolher a melhor opção com um melhor retorno.

Impacto da nova Selic nos investimentos

Segundo Vinicius Romano, especialista em Renda Fixa da Suno Research, apesar da redução na Selic, o patamar da taxa ainda segue alto e apresenta boa relação risco x retorno para os investimentos.

“Principalmente para os pós-fixados, já que estes praticamente não sofrem com marcação a mercado e são positivamente impactados pelo alto nível da taxa básica de juros, que se mantém acima de dois dígitos”, aponta.

Para ele, no caso dos papéis indexados à inflação (IPCA+), entende-se que os títulos com vencimentos no médio e longo prazo ainda proporcionam um carrego interessante aos investidores, com um juro real próximo de, na média, 6,15% ao ano sem risco de crédito, tratando-se de títulos públicos. 

“Já para os prefixados, a nossa visão é de que ainda existem boas opções, principalmente de emissão bancária, com duration um pouco mais curta, de, aproximadamente, 3 anos”, afirma.

Já para os ativos de renda variável e para o dólar, o especialista acredita que os preços, de modo geral, seguirão estressados, diante do cenário adverso citado no comunicado do Copom.

Quer saber mais sobre como começar a investir? Confira este curso gratuito do Hub de Educação da B3!