Empresas

Americanas (AMER3): leilões e fato relevante, acompanhe o dia da companhia na B3

Empresa anunciou ontem a renúncia do presidente, Sérgio Rial, e do diretor de relações com investidores, André Covre; entenda melhor quando um leilão é feito na B3 e por quê

Lojas Americanas
Lojas Americanas

Por Redação B3 Bora Investir

Depois de abrirem em forte queda na Bolsa de Valores (B3), as ações da Americanas (AMER3) entraram em leilão e permaneceram até por volta das 13h55, quando tiveram suas negociações suspensas até 14h09 por eminência de fato (FR) relevante divulgado pela companhia.  Com o FR divulgado, as ações voltaram a negociar, abrindo às 14h22 a R$ 2,80, em queda de -76,67%, em relação ao fechamento de ontem. Na sequência entraram em leilão novamente, por caírem -1,5% em um curto período de tempo, conforme as regras de negociação da bolsa.

A queda brusca acontece depois da companhia comunicar ao mercado, na noite de ontem, sobre ter encontrado inconsistências em lançamentos contábeis de R$ 20 bilhões – fato que levou à renúncia do seu presidente, Sérgio Rial, e do diretor de relações com investidores, André Covre, depois de 10 dias no cargo.

“Neste momento, não é possível determinar todos os impactos de tais inconsistências na demonstração de resultado e no balanço patrimonial da companhia”, diz o fato relevante divulgado pela empresa.

Quando um leilão é feito na B3 e por quê?

O call de abertura é um procedimento diário do mercado de ações. No começo do dia todas as ações listadas na B3 entram em call  ao mesmo tempo para formar o preço de abertura. Esse procedimento acontece todos os dias no pregão da B3 – 15 minutos antes da abertura do pregão e 5 minutos antes do fechamento, para formar o preço de fechamento do papel.

Quando uma grande oscilação nos valores negociados de um determinado papel ocorre na B3, como o está sendo o caso da Americanas hoje, esse call é estendido e as negociações ficam paralisadas por um período maior e um leilão passa a acontecer. A função do leilão é justamente proteger os investidores em momentos de pouca informação oficial e muita oscilação de mercado. 

Ele nada mais é do que um procedimento especial de negociação dessas ações, que visa balizar o valor da ação ao encontrar a melhor associação entre oferta e demanda. Em outras palavras, o leilão é uma resposta à volatilidade do mercado em situações muito específicas. 

Pela regra, a B3 paralisa as ações por 1 hora quando a oscilação no valor de um ativo chega a -50%. Por isso os papéis da Americanas entraram nessa modalidade durante o call de abertura de hoje.

Por que um leilão é estendido?

Alguns fatores permitem que o leilão seja estendido pela B3. Segundo o Manual de procedimentos operacionais de negociação da bolsa, alteração no preço teórico da ação ou a própria decisão da B3 são alguns dos motivadores.

No caso da Americanas, houve o aumento do túnel de rejeição inferior de baixa (mecanismo de proteção). Ao atingir o limite de queda, que hoje é padronizado em -50%, em relação ao fechamento do dia anterior, a bolsa aumenta o limite caso haja um pedido do mercado, ou seja, se algum participante pedir para vender ações em um valor inferior ao desse limite. No caso da Americanas, esse valor foi aumentado para -75% e posteriormente para -99% – esse limite de queda é o chamado “túnel de rejeição inferior de baixa”.

Desde a abertura o leilão já foi adiado cinco vezes pela B3 e deve ser retomado às 13h55.

O que acontece quando o leilão acaba?

Durante o período de leilão, o sistema da Bolsa apenas aceita o registro de ofertas de compra e ofertas de venda, mas não registra o negócio. Isso serve para definir o potencial preço de abertura (ou fechamento) de um determinado ativo, sendo considerado aquele onde for gerado a maior quantidade de ações.

Os negócios oriundos do leilão (Call de abertura/fechamento) são gerados apenas ao seu término.

Quer entender tudo sobre o mercado financeiro? Esse curso sobre o Mercado de Ações no Brasil do Hub de Educação da B3 pode te ajudar — basta fazer o login para ter acesso a esse e outros cursos gratuitos.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias