Empresas

As 20 empresas que mais pagaram dividendos no Brasil e no mundo em 2023

Microsoft retoma a liderança do ranking de empresas globais que mais pagaram dividendos apoiada em aposta em inteligência artificial

Microsoft. Foto: Pixabay
Microsoft. Foto: Pixabay

A busca por ações boas pagadoras de dividendos não se limita apenas às companhias locais. A distribuição de proventos também são destaques de empresas mundo afora. 

Segundo a Janus Henderson Investors, os dividendos globais aumentaram 5% em 2023, atingindo um recorde de US$ 1,66 trilhão pagos. A gestora também levantou as 20 empresas que mais pagaram lucros aos seus acionistas. Confira!

Confira as 20 empresas que mais pagaram dividendos no mundo em 2023

O grande destaque em dividendos no mundo em 2023 foi a Microsoft, que voltou ao topo da lista após 3 anos, e distribuiu US$ 20,74 bilhões.

O segundo lugar ficou com outra gigante da tecnologia, a Apple, que pagou US$ 14,9 bilhões aos seus investidores. 

Segundo Gerson Brilhante, analista da Levante Corp, ambas as companhias têm investido significativamente em inteligência artificial para impulsionar inovações em seus produtos e serviços. O que alavancou seus lucros. 

“Espera-se que essa ênfase em IA resulte em melhorias contínuas no operacional, à medida que desenvolvem produtos mais avançados e eficientes. Além disso, há o crescimento sólido das receitas.

O top 3 é completado pela Exxon Mobil, do setor de petróleo e gás, que distribuiu US$ 14,79 em proventos.

PosiçãoEmpresaPaísSetorUS$ em bilhões
1MicrosoftEUATecnologia20,74
2AppleEUATecnologia14,9
3Exxon MobilEUAPetróleo e gás14,79
4China Construction BankChinaFinanceiro12,99
5PetrochinaChinaPetróleo e gás12,75
6BHPAustráliaMateriais básicos12,3
7China MobileHong KongComunicação e mídia12,14
8Johnson & JohnsonEUACuidados com a saúde e farmácia11,99
9JP Morgan ChaseEUAFinanceiro11,81
10A.P Moller – MaerskDinamarcaFinanceiro11,73
11ChevronEUAPetróleo e gás11,4
12EquinorNoruegaPetróleo e gás11,2
13VerizonEUATelecomunicações11
14HSBCReino UnidoFinanceiro10,5
15AbbvieEUAFarmacêutica10,4
16Taiwan Semiconductor ManufacturingTaiwanSemicondutores9,4
17PfizerEUAFarmacêutica9,25
18NestléSuíçaAlimentos9,1
19VolkswagenAlemanhaProdução de veículos8,8
20Procter & GambleEUABens de consumo8,8
Fonte: Janus Henderson Investors

Queda no crescimento global e países emergentes em destaque

De acordo com o estudo, 86% das empresas em todo o mundo aumentaram os dividendos ou os mantiveram estáveis no último ano. Contudo, os grandes cortes nos proventos feitos por empresas como BHP, Petrobras, Rio Tinto, Intel e AT&T, reduziram a taxa de crescimento global no ano em dois pontos percentuais.

O destaque positivo ficou por conta dos mercados emergentes que distribuíram dividendos recordes pelo terceiro ano consecutivo.  Foram pagos US$ 166,1 bilhões, um aumento de 8% em uma base nominal.

No ano passado, 22 países registraram pagamentos recordes de dividendos, entre eles os EUA, a França, a Alemanha, a Itália, o Canadá, o México e a Indonésia.

Bancos puxam dividendos para cima

Entre os setores, os bancos, especialmente nos mercados emergentes, entregaram dividendos recordes em 2023 e contribuíram com metade do crescimento mundial de proventos. O movimento foi impulsionado por taxas de juros mais altas globalmente, que permitiram que muitos bancos aumentassem as margens de seus negócios.

Prova disso foi a presença de empresas dos EUA, China e Europa no top 10 de distribuição de dividendos. É o caso do China Construction Bank, que pagou US$ 12,99. Assim como o JP Morgan Chase e o A.P Moller – Maersk, que distribuíram US$ 11,81 e US$ 11,73, respectivamente.

Previsão de dividendos para 2024

A Janus Henderson espera que 2024 apresente um crescimento semelhante ao de 2023. A estimativa é de que sejam distribuídos dividendos de US$ 1,72 trilhão até o fim do ano, um aumento de 5%.

Ben Lofthouse, diretor de renda variável global da Janus Henderson, aponta que o pessimismo com relação à economia global mostrou-se infundado em 2023 e, embora as perspectivas sejam incertas, os dividendos estão bem sustentados. “O fluxo de caixa corporativo na maioria dos setores permaneceu forte”.

Lofthouse pondera que o efeito defasado das taxas de juros mais altas continuará a ter impacto sobre os dividendos, além da previsão de crescimento econômico global mais lento e custos de financiamento mais altos para as empresas. 

“Embora o rápido crescimento que vimos nos bancos vá desacelerar este ano, é provável que os rápidos declínios do setor de mineração também tenham um impacto menor. Os preços da energia continuam firmes, de modo que os dividendos do petróleo são acessíveis e os grandes setores defensivos, como saúde, alimentos e bens de consumo básicos, devem continuar a progredir de forma constante. Além disso, os dividendos são muito menos variáveis do que os lucros ao longo do tempo”, aponta.

Já o analista da Levante Corp destaca que o setor de petróleo e gás pode ter um aumento de demanda de commodities por conta da melhora na atividade econômica da China. 

“Isso pode beneficiar empresas como Exxon Mobil, PetroChina e BHP, impulsionando seu crescimento e aumentando seus lucros, o que pode levar a um aumento dos dividendos para os acionistas”, diz.

Ele ainda ressalta que a política monetária chinesa, orientada para estimular a economia, pode levar empresas como China Construction Bank e China Mobile a se beneficiarem de uma maior atividade econômica e demanda por serviços financeiros e de telecomunicações.

Pagadoras de dividendos no Brasil

O levantamento de Einar Rivero, consultor financeiro da Elos Ayta Consultoria, feito para o Bora em janeiro, destacou as 20 ações com maiores Dividend Yield em 2023 no Brasil aos seus acionistas. Confira!

Líder do ranking, com o maior dividend yield, a ação da Mahle-Metal Leve (LEVE3), teve um retorno de 35,80% em proventos aos seus acionistas.

Para José Daronco, analista CNPI da Suno Research, a distribuição de proventos da companhia não se deu pelo resultado propriamente dito. Mas, por uma captação a mercado (follow-on), que possibilitou ela pagar ‘dividendos turbinados’.

Em segundo e terceiro lugar da lista estão os papéis da Petrobras, PETR4 e PETR3. As ações tiveram DY de 29,58% e 25,85%, seguindo a trajetória dos últimos 2 anos de pagar um dividendo expressivo.

Quer saber sobre como investir em empresas do mundo todo através de BDRs? Faça os cursos gratuitos no Hub de Educação Financeira da B3!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias