Empresas

Bard: Inteligência artificial do Google chega ao Brasil

Rival do ChatGPT foi lançado pela Alphabet em mais de 40 línguas. Ações da empresa já subiram mais de 41% no ano. Mercado de IA deve crescer 42% em 10 anos

Bard, Google. Foto: Mojahid Mottakin/Unsplash
O Bard é um sistema de inteligência artificial que responde a perguntas dos usuários e cria conteúdo. Foto: Mojahid Mottakin/Unsplash

Por Redação B3 Bora Investir

A concorrência no setor de ferramentas de inteligência artificial focadas no consumidor ganhou mais um capítulo com o lançamento do Bard – novo sistema de IA do Google.

Depois de chegar a mais de 100 países em fevereiro deste ano, a ferramenta concorrente do ChatGPT começou a funcionar no Brasil e em outras 49 nações. Inclusive os 27 países da União Europeia que há anos discutem questões regulatórias para empresas de tecnologia.

O que é o Bard? Conheça a nova IA do Google!

O Bard é um sistema de inteligência artificial que responde a perguntas dos usuários e cria conteúdo. Ele promete também agilizar pesquisas na internet e responder com imagens e áudios.

Segundo o site oficial do Google, o Bard pode “aumentar sua produtividade e trazer vida às suas ideias”. No entanto, a gigante de tecnologia afirma que o sistema ainda está em fase experimental e pode apresentar respostas imprecisas ou inadequadas.

O mercado de inteligência artificial para o consumidor tem mexido não só com os negócios em tecnologia, mas também com o mercado financeiro.

Uma pesquisa da Bloomberg Intelligence, em parceria com a Mandeep Singh, estimou que as ferramentas de IA devem alimentar o boom da década. Esse tipo de sistema pode elevar a receita desse mercado em US$ 1,3 trilhão até 2032, de US$ 40 bilhões no ano passado.

O setor pode se expandir a uma taxa de 42% em dez anos, puxado pela demanda por infraestrutura para treinar os sistemas, além de dispositivos e publicidade.

Pelo lado do mercado financeiro, desde fevereiro deste ano – quando o Google lançou o Bard – as ações da Alphabet já subiram 41%. Já os papeis da Microsoft, apoiadora do rival ChatGPT, valorizaram-se 42%.

Para que serve o Bard?

A própria tradução literal para o português traz pistas sobre para que serve a nova plataforma de inteligência artificial do Google. A palavra Bard quer dizer ‘o Poeta’, ou seja, um contador de histórias.

A plataforma usa algoritmos avançados de aprendizado de máquina para entender o contexto de uma consulta e fornecer resultados mais precisos e relevantes.

O Bard pode ser usado para responder perguntas básicas do nosso dia a dia. O próprio Google fez uma lista de exemplos do que o sistema pode fazer:

  • Pode formatar uma citação no formato ABNT;
  • Criar uma rotina de estudos para a semana de provas;
  • Dar dicas de como começar um podcast sobre filmes de heróis;
  • Listar os itens básicos para uma viagem de 3 dias.

Essa Inteligência Artificial também consegue ajudar estudantes e pesquisadores a estudarem literatura. O sistema conta com textos digitalizados das coleções da British Library e mais de 100 mil livros de acesso aberto.

Como acessar?

Para acessar a inteligência artificial do Google, primeiro é preciso entrar no site do Bard (bard.google.com) e aceitar os termos de privacidade da plataforma.

Dentre os pontos do termo que chamam atenção está a coleta das conversas geradas, para “fornecer, melhorar e desenvolver produtos e serviços do Google”.

As atividades realizadas na plataforma ficam armazenadas por 18 meses. No entanto, o usuário pode alterar a configuração para mais tempo (36 meses) ou menos (3 meses).

Em todos os momentos de uso, a plataforma avisa que o Bard está em fase de testes e que nem todas as suas respostas são precisas. Assim, há um botão disponível que leva a uma pesquisa direta no Google.

Para solucionar esses problemas, a companhia pede ajuda dos usuários, através de feedbacks, para melhorar o desempenho do produto. O site também avisa que “revisores humanos podem processar suas conversas para fins de qualidade”.

O Google também pede para que nenhuma informação confidencial seja inserida no sistema.

+ Boom da inteligência artificial: saiba como investir em IA pela bolsa

Como acessar e usar o Bard?

Para acessar a inteligência artificial do Google, primeiro é preciso entrar no site do Bard (bard.google.com) e aceitar os termos de privacidade da plataforma.

Dentre os pontos do termo que chamam atenção está a coleta das conversas geradas, para “fornecer, melhorar e desenvolver produtos e serviços do Google”.

As atividades realizadas na plataforma ficam armazenadas por 18 meses. No entanto, o usuário pode alterar a configuração para mais tempo (36 meses) ou menos (3 meses).

Em todos os momentos de uso, a plataforma avisa que o Bard está em fase de testes e que nem todas as suas respostas são precisas. Assim, há um botão disponível que leva a uma pesquisa direta no Google.

Para solucionar esses problemas, a companhia pede ajuda dos usuários, através de feedbacks, para melhorar o desempenho do produto. O site também avisa que “revisores humanos podem processar suas conversas para fins de qualidade”.

O Google também pede para que nenhuma informação confidencial seja inserida no sistema.

+ Boom da inteligência artificial: saiba como investir em IA pela bolsa

Quais são os principais recursos do Bard?

O novo sistema de inteligência artificial do Google também oferece uma série de recursos para ajudar nas pesquisas e na interação do usuário com a máquina e até amigos.

Ouvir respostas – a máquina agora pode ler as respostas para os usuários, assim é possível saber a pronúncia correta das palavras, ouvir um poema ou roteiro;

Ajuste de respostas – é possível alterar o tom e o estilo das respostas para opções como simples, longo, curto, profissional ou casual (recurso apenas em inglês);

Fixar e renomear conversas – ao iniciar uma conversa, é possível fixar, renomear e selecionar conversas recentes na barra lateral;

Compartilhe respostas com amigos – as respostas oferecem links compartilháveis para enviar para outros usuários.

ChatGPT x Bard

Em novembro do ano passado, a empresa OpenAI lançou o ChatGPT – primeira ferramenta de inteligência artificial capaz de gerar conteúdos escritos, a partir de uma grande base de dados.

A companhia contou com investimentos de US$ 10 bilhões da Microsoft. A partir deste ponto se iniciou uma corrida frenética por essa tecnologia.

Foi então que em fevereiro, o Google lançou o Bard para os primeiros países e agora em julho aumentou o número de nações que podem usar a sua tecnologia.

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias