Notícias

Entenda o caso da 123 Milhas e por que o modelo de pacotes flexíveis se esgotou  

123 milhas suspendeu viagens da linha promocional com embarque de setembro a dezembro, e paralisou a emissão de novos pacotes e passagens

Foto: Divulgação 123 milhas
Foto: Divulgação 123 milhas

Por Redação B3 Bora Investir

O planejamento financeiro de uma viagem é essencial para o sucesso da empreitada em outro país, estado ou mesmo num passeio de fim de semana. Mas e quando o problema acontece com a empresa que emite as passagens e os pacotes? O caso mais recente é da 123 Milhas, que desde a última sexta-feira, 18/08, suspendeu os pacotes e a emissão de passagens de sua linha promocional.

Aprenda a escolher um consultor financeiro e fugir de armadilhas

A medida impacta viagens de datas flexíveis, com embarques previstos de setembro a dezembro de 2023. Esse tipo de pacote era vendido por valores abaixo dos praticados no mercado.

Em comunicado, a empresa afirmou que a suspensão ocorreu diante da “persistência de fatores econômicos e de mercado adversos, entre eles, a alta pressão da demanda por voos, que mantém elevadas as tarifas mesmo em baixa temporada, e a taxa de juros elevada”.

Por que os pacotes promocionais não deram certo?

A empresa fazia uma aposta em preços baixos de passagens e hospedagens, para oferecer valores mais em conta. Isso era possível, pois as viagens não tinham data previamente marcada, já que era necessário garimpar os dias de voo e estadia mais baratos possíveis.

Durante a pandemia, o esquema funcionou bem – já que a procura por viagens quase zerou. No entanto, com a flexibilização houve uma elevação na demanda e os preços subiram.

Nova regra fiscal deve ser votada na Câmara até quarta; relembre os principais pontos

Foi então que a 123 Milhas passou a não encontrar opções dentro da faixa de preços cobrada de seus clientes. Com a sinalização de prejuízo no modelo, a alternativa foi adiar ou cancelar as viagens.

O viajante profissional, Rodrigo Ruas, explica que não há mágica para comprar passagens e pacotes sem data marcada, diante de um mercado tão volátil.

“A matemática é simples. No caso das passagens áreas, quanto menos assentos dentro de um voo, mais caro fica. Exemplo: uma empresa vende uma viagem de Salvador para o Rio, sem um dia específico para o mês de setembro. De última hora surgem vários eventos na cidade e os voos começam a lotar. Aumenta a demanda, os preços sobem e não tem como honrar o valor mais barato pago”.

Para explicar a situação complicada da 123 Milhas, o profissional faz até um paralelo com o mercado financeiro. 

“É muito parecido com a bolsa de valores. Quanto mais aumenta a procura pela ação de uma companhia, mais o preço dos papéis se valoriza. Isso funciona também para a hotelaria. Quanto menos quartos disponíveis, mais caro eles ficam”.

Como será feita a devolução do dinheiro?

A 123 Milhas afirmou que está devolvendo integralmente os valores pagos pelos clientes através de “vouchers acrescidos de correção monetária de 150% do CDI, acima da inflação e dos juros de mercado, para compra de quaisquer passagens, hotéis e pacotes”.

Segundo a empresa, esses vouchers vão poder ser usados em produtos da 123 Milhas. No comunicado, no entanto, a agência não deixou claro se haverá ressarcimento em dinheiro, para uso além de seus serviços.

“A minha dica é pegar o voucher e correr para emitir uma passagem na 123 Milhas com data marcada e localizador. Depois de emitida, o viajante pega o número do localizador, entra no site da companhia aérea, digita o número e visualizar a sua passagem”, explica Rodrigo Ruas.

Até o fim da tarde desta segunda-feira, 21/08, 40% dos clientes da linha promocional pediram os vouchers, de acordo com a empresa.

Repercussão

O presidente da CPI das Pirâmides Financeiras da Câmara, deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), disse que a comissão vai investigar a empresa. “Muitas famílias se programaram e agora todo o sonho vai por água abaixo”.

O ministro do Turismo, Celso Sabino, informou que suspendeu a empresa 123 milhas do acesso a linhas de crédito em bancos públicos.

“O ministério suspendeu o cadastro do 123 Milhas no Cadastur, que é essencial para que as companhias tenham benefícios tributários destinados ao setor”.

A Secretaria Nacional do Consumidor deu prazo de dois dias para que a 123 Milhas apresente esclarecimentos sobre o cancelamento de pacotes promocionais. E determinou que a empresa indique um canal de comunicação para atender os consumidores.

Segundo a 123 Milhas, o consumidor pode entrar em contato com a agência pelos canais oficiais: www.123milhas.com ou www.123milhas.com.br,  na aba ‘Promo 123’; ou pelo WhatsApp (31) 99397-0210.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.