Warning: unlink(/tmp/wordpress-seo.21.9.zip): No such file or directory in /var/www/html/wp-admin/includes/class-wp-upgrader.php on line 386

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /var/www/html/wp-admin/includes/class-wp-upgrader.php:386) in /var/www/html/wp-content/plugins/wp-super-cache/wp-cache-phase2.php on line 1544
Fed estima nova alta nos juros dos EUA para levar inflação à meta | Bora Investir
Notícias

Fed estima nova alta nos juros dos EUA para levar inflação à meta

Ata do FOMC revelou que BC americano acredita que a política monetária mais restritiva está desacelerando a economia, como o esperado, mas que é preciso “proceder com cautela”

Brasão do Sistema de Reserva Federal dos EUA
Símbolo do Federal Reserve System na Sala de Imprensa do FED, nos EUA. Fonte: Adobe Stock.

Por Redação B3 Bora Investir

Em meio a uma economia resiliente, os membros do Federal Reserve (Fed), o Banco Central dos Estados Unidos, concordaram na sua última reunião que a política monetária americana deve permanecer restritiva, por mais tempo, para levar a inflação à meta de 2%.

A informação consta na ata do encontro do Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC), divulgada nesta quarta-feira, 11/10.

O documento também mostrou que a maioria das autoridades do Fed vê como “altamente incerta” a trajetória futura da economia americana, apesar de acreditar que a atividade está perdendo força, como o esperado.

O colegiado também afirmou que há necessidade de mais informações que mostrem a perda de ritmo da inflação, para que o Fed “fique mais confiante” de que está no caminho certo.  

Mesmo com a decisão na reunião do mês passado de manter os juros entre 5,25% e 5,50% – maior patamar em 22 anos – 12 dos 19 membros indicaram a necessidade de retomar o ciclo de aperto para mais um ajuste até o final do ano.

“Os dirigentes esperam que os dados que vão chegar nos próximos meses ajudarão a esclarecer até que ponto o processo de desinflação continua e se o mercado de trabalho alcançaria um melhor equilíbrio entre a demanda e a oferta”, diz um trecho da ata.

Importante lembrar que em setembro, a economia americana criou o dobro de vagas do que era esperado pelos analistas.

Para o especialista em câmbio da Manchester Investimentos, Thiago Avallone, a ata mostrou “que os dirigentes do Fed estão muito preocupados com o futuro do aperto monetário”. Segundo ele, existem três pontos de atenção:

  1. O preço das commodities no mercado internacional;
  • As greves sindicais nos Estados Unidos, que podem trazer problemas a vagas de emprego e até na economia local;
  • E a volatilidade dos índices econômicos.

“Essa incerteza, a não coerência da evolução da economia americana, acaba trazendo um possível aumento na taxa de juros até o final desse ano”, conclui.

Economia global

Os dirigentes do Federal Reserve também afirmaram no documento que potenciais choques no preço do petróleo no mundo e o impacto de greves nos Estados Unidos podem alimentar uma piora da inflação.

A economia mais fraca da China, dificuldades em estimar o estado dos mercados financeiros e o estresse bancário criam condições ruins para a economia americana.

“Condições de crédito mais restritivas vão pesar na atividade econômica, contratações e inflação. Mas a extensão desses efeitos é incerta”, afirma o documento.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.