Notícias

Focus: projeção para inflação desacelera em 2023, mas avança no próximo ano

Leve perda de ritmo acontece em meio a crise bancária internacional e ao aprofundamento das discussões dentro do governo sobre o novo arcabouço fiscal

Selic, PIB. Moedas e calculadora no celular. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil
O relatório Focus é publicado todas as segundas-feiras com as projeções do mercado financeiro para a economia brasileira. Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é a inflação oficial do país, teve um leve reajuste para baixo de 5,96% para 5,95% em 2023, segundo o boletim Focus, do Banco Central (BC), divulgado nesta segunda-feira, 13/03. O resultado segue bem superior à meta de 3,25% e do teto da meta, de 4,75%, definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para 2024, a projeção de inflação do mercado financeiro foi na contramão e subiu de 4,02% para 4,11%. O valor segue bem acima da meta que é de 3%. A inflação em patamares elevados corrói o poder de compra dos consumidores, principalmente dos mais pobres. Isso acontece porque os preços avançam e os salários não acompanham esse movimento.

Os impactos nas previsões do Focus vieram após a apresentação do novo arcabouço fiscal ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad. A semana também teve forte turbulência no cenário internacional com a quebra do Silicon Valley Bank e do Signature Bank nos Estados Unidos, do socorro ao First Republic Bank no país e da injeção no Credit Suisse – que agora foi comprado pelo UBS.

Selic e decisões

A crise bancária nos EUA e na Europa tem potenciais desinflacionários para a economia brasileira, mas o Banco Central não deverá ter espaço para baixar os juros agora por conta da inflação que segue em patamares elevados. Tanto que o boletim Focus manteve a estimativa para a taxa básica de juros estável em 12,75% ao ano para o fim de 2023.

Nesta quarta-feira, 22/03, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC se reúne para discutir a taxa básica de juros. A maioria dos analistas espera que a Selic seja mantida em 13,75% – maior patamar em seis anos. O Federal Reserve (Fed) – banco central americano – também divulga no mesmo dia detalhes da sua política monetária.

“Os bancos centrais tomam a decisão espremidos entre inflação alta de um lado, e a turbulência do sistema financeiro global do outro. Nesse sentido, as decisões políticas desta semana, bem como a comunicação pós-reunião, estão provavelmente entre as mais importantes em muitos anos. No Brasil, o mercado vai acompanhar de perto as discussões sobre a proposta de novo arcabouço fiscal, na qual jornais reportam que o presidente Lula pediu ajustes na proposta, sugerindo que ela não deve ser divulgada no início desta semana”, afirmou a equipe de economistas da XP.

Para o fim de 2024, a projeção do mercado para o juro básico da economia ficou estável em 10% ao ano; e 9% em 2025.

Produto Interno Bruto

Após quatro semanas consecutivas de alta, a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma de todos os bens e serviços produzidos no país, num determinado período, e serve para medir a evolução da economia, recuou de 0,89% para 0,88%.

Na semana passada, o Boletim Macrofiscal do Ministério da Fazenda, estimou que a economia brasileira deve crescer 1,61% em 2023. Essa foi a primeira previsão do PIB divulgada pela nova equipe econômica e está bem acima das projeções do mercado financeiro. Segundo o governo, a desaceleração da economia está relacionada com os “efeitos contracionistas da política monetária [alta dos juros] sobre o ciclo econômico e sobre o mercado de crédito”.

Já para 2024, a previsão de crescimento caiu de 1,50% para 1,47%.

Dólar

A estimativa para a moeda americana no fim de 2023 permaneceu em R$ 5,25. Para o fim de 2024, ficou estável em R$ 5,30.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias