Imposto de renda

Prepare-se já para o imposto de renda: quais os documentos você já pode separar para sua declaração?

Mesmo antes do início do prazo da declaração, contribuintes podem começar a reunir os documentos

Leão, figura representativa do Imposto de Renda
A restituição do Imposto de Renda é a devolução de uma parcela do imposto pago a mais pelo contribuinte durante o ano

Por Daniela Frabasile

Talvez você se pergunte: por que falar da declaração de imposto de renda já em janeiro, meses antes do início do prazo da entrega da declaração? Mas há bons motivos para isso. Atire a primeira pedra quem nunca deixou essa tarefa para a última hora e não conseguiu encontrar um recibo importante ou a declaração do ano passado.

Por isso, vale lembrar que a preparação para a declaração do imposto de renda pessoa física não deve se restringir às semanas finais do prazo, em maio. Quem se antecipa e guarda os documentos ao longo do ano tem muito menos dor de cabeça na hora de prestar contas à Receita Federal.

Não recebi minha restituição do Imposto de Renda em 2023. O que devo fazer?

O Bora Investir conversou com Valdir Amorim, coordenador técnico e jurídico da IOB, para saber quais documentos você já pode (e deve) separar. Confira:

Documentação básica de identificação

Entre as primeiras caixas que o contribuinte precisa preencher no programa do IRPF, estão alguns documentos básicos de identificação. Pode parecer simples, mas vale lembrar que o contribuinte precisará de:

  • Título de eleitor
  • CPF do declarante, dependentes e alimentandos (independente da idade)
  • Comprovante de endereço

Recibo de entrega da última declaração de imposto de renda

Há três formas como as pessoas costumam salvar o recibo da declaração: o arquivo em PDF no computador, no programa de declaração do ano passado ou impresso. Agora, se você já revirou as gavetas da sua casa e as pastas de seu notebook e mesmo assim não encontrou, é possível pedir a segunda via no site da Receita Federal. Para isso, é preciso ser uma conta .gov, do tipo ouro.

Lula sanciona lei que flexibiliza escolha de tributação na previdência privada; e agora?

Recibos de gastos médicos ou com educação

Antes mesmo de a Receita Federal liberar para download o programa para envio da declaração, uma coisa que o contribuinte já pode adiantar é a busca por notas fiscais e recibos de serviços que podem gerar deduções na declaração, como gastos com médicos, dentista ou com educação.

Comprovante de pagamento de pensão

Outro item que pode gerar a dedução do cálculo do IR é o pagamento de pensão alimentícia. Por isso, você já pode reunir os comprovantes de pagamento. Vale lembrar que para a dedução, é preciso que a pensão seja oficial, ou seja, registrada em cartório ou em juízo.

Documentos de compra e venda de bens

Quem comprou ou vendeu bens como carro, moto ou imóvel precisa ter em mãos a documentação sobre a transação – em especial, o valor de compra ou de venda.

Outra dica é conferir se houve ganho de capital, e se esse ganho é tributável. Nesse caso, o contribuinte deverá baixar o programa Ganhos de Capital (GCAP), da Receita, e fazer o pagamento devido. O lucro deve ser declarado e o imposto pago no mês seguinte ao da transferência ou venda do bem. Se você ainda não fez isso, pode fazer com atraso (passível de multa).

Informes de rendimentos

Se o contribuinte é um trabalhador registrado ou se presta serviço para uma empresa, a empresa deverá entregar a ele o informe de rendimentos de 2023 até o dia 29 de fevereiro.

Os bancos e corretoras onde o contribuinte tem conta e investimentos também são obrigados a enviar esse documento, que normalmente é de fácil acesso nos sites ou aplicativos. Esses são documentos que talvez você não consiga reunir antes, mas vale ficar atento ao prazo.

Quer conhecer investimentos mais rentáveis do que a poupança? Confira esse curso oferecido pela B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.