Notícias

Inflação ao consumidor nos EUA avança e pressão sobre os juros continua

Gastos com consumo, índice importante para definir os passos da política monetária americana, subiu 0,4% em abril, acima do esperado

Dólar. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
A inflação tem se mostrado resistente ante a alta das taxas de juros promovidas pelo Fed. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

As pressões inflacionárias nos Estados Unidos seguem persistentes, apesar do aperto monetário promovido pelo Federal Reserve (Fed). Nesta sexta-feira, 26/05, o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) mostrou uma nova aceleração em abril de 0,4% em relação ao mês anterior (0,1%), segundo o Departamento de Comércio. É o maior aumento do valor dos gastos das famílias americanas desde o início do ano.

O resultado pode levar os formuladores de política monetária do BC americano a aumentar ainda mais as taxas de juros. Isso porque esse é um dos indicadores mais importantes para as decisões de política monetária do Fed. “O mercado já está colocando em 50% as chances de uma alta de 0,25 ponto percentual em junho. Eu ainda acho que o mais provável é uma pausa”, afirma Paulo Gala, economista-chefe do Banco Master.

+ Fed está dividido sobre novos aumentos nos juros americanos para domar a inflação

Em 12 meses, o PCE marcou 4,4% em abril, após registrar 4,2% em março. O índice foi puxado pelo crescimento nos preços de alimentos (6,9%), serviços (5,5%) e bens de consumo (2,1%).

O núcleo do índice, que exclui itens mais voláteis, como alimentos e energia; avançou 0,4% em abril. O ritmo aumentou na comparação com março (0,3%) e ficou acima do esperado pelos analistas, que previam uma alta de 0,3%. Em 12 meses, o núcleo acumula avanço de 4,7%, também acima da medição do mês anterior (4,6%).

A recente pressão sobre os preços aponta mais uma vez para a resiliência da demanda das famílias americanas e a estabilidade dos investimentos empresariais em estoques, o que deve manter a inflação pressionada. O desafio de domar os preços ficou evidente na ata da reunião do Fed divulgada nesta semana.

PIB dos EUA avança no 1º trimestre

A segunda leitura do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos mostrou que a economia americana cresceu a uma taxa anualizada de 1,3% no primeiro trimestre de 2023. O resultado ficou acima da prévia divulgada em abril, que apontava uma alta de 1,1%.

A melhora na atividade foi puxada pelos aumentos nos gastos do consumidor, exportações, gastos do governo federal e dos governos estaduais e locais. “Os dados de atividade estão um pouco melhores no momento em que a Alemanha, por exemplo, está em recessão”, conclui Paulo Gala.

Teto da dívida caminha para solução

Em meio às discussões sobre juros e inflação, o impasse em torno de um acordo sobre a elevação do teto da dívida do governo americano parece caminhar para um final.

Segundo reportagem da Reuters, uma autoridade americana que preferiu não se identificar disse que o presidente Joe Biden e o líder republicano da Câmara dos Deputados, Kevin McCarthy, estão mais próximos de chegar a um acordo.

Ainda segundo a agência de notícias, republicanos e democratas seguem separados por cerca US$ 70 bilhões, de um valor total que seria bem superior a US$ 1 trilhão.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias