Notícias

Mercado financeiro hoje: cautela no mercado externo com China e Fed

Nos próximos dias são esperados o CPI da Alemanha, PIB final dos EUA do 2º trimestre, e discurso do presidente do FED, além de indicadores da Europa

Bolsa de valores. Foto: Divulgação B3.
Bolsa: investidores também monitoram Haddad e Tebet, que participam de evento. Foto: Divulgação B3.

Por Redação B3 Bora Investir

A última semana de setembro é de agenda intensa, com ata do Comitê de Política Monetária (Copom), IPCA-15 de setembro e Relatório Trimestral de Inflação (RTI) em destaque no Brasil. Hoje o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, participa da palestra “Caminhos para Retomada do Desenvolvimento Econômico”, na FGV, em São Paulo.

Lá fora, a presidente do BCE, Christine Lagarde, testemunha hoje no Comitê de Assuntos Econômicos e Monetários do Parlamento Europeu. Nos próximos dias são esperados o CPI da Alemanha, PIB final dos EUA do 2º trimestre, e discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Jerome Powell, PIB do Reino Unido, vendas no varejo da Alemanha e CPI da zona do euro.

Cautela no mercado externo

Após perdas robustas das bolsas de Nova York na semana passada, os índices futuros operam sem fôlego e apontam hoje para possível continuidade de queda, em meio à perspectiva de que os juros nos EUA permaneçam em níveis elevados por mais tempo do que se imaginava.

A Oxford Economics espera que os EUA entrem em leve recessão em 2024 em meio à política monetária restritiva. Na Europa, as bolsas mostram cautela mais acentuada diante também preocupações renovadas com o combalido setor imobiliário da China. As ações da Evergrande levaram um tombo de quase 22%, após a incorporadora chinesa anunciar que está impossibilitada de emitir novos títulos devido a uma investigação sobre uma de suas afiliadas.

+ Por que o setor imobiliário chinês está em crise?

Mais cedo foi revelado que o índice Ifo de sentimento das empresas da Alemanha caiu levemente em setembro, a 85,7 pontos, ante 85,8 pontos em agosto, superando a expectativa de analistas de queda de 85 pontos. No Japão, o presidente do Banco do Japão (BoJ, na sigla em inglês), Kazuo Ueda , disse que a inflação no país parece ainda não estar alcançando a meta de inflação estipulada pela autoridade monetária, de 2%.

Brasil de olho no cenário fiscal

A postura defensiva dos mercados internacionais tende a afetar os negócios locais nesta segunda-feira, uma vez que a agenda local ganha tração a partir de amanhã, com a ata do Copom e IPCA-15 de setembro.

Além dos temores com cenário de juros altos por mais tempo nos Estados Unidos e outras economias, o investidor deve seguir cauteloso de olho no cenário fiscal e na viabilidade de o governo cumprir a meta de déficit fiscal zero em 2024.

Ao mesmo tempo em que o governo enfrenta desaceleração da arrecadação, há pautas-bombas no Congresso que ameaçam aumentar os gastos em até R$ 88,5 bilhões aos cofres federais. As medidas incluem benesses para Estados e municípios em crise, além da retomada de bondades antigas para o setor produtivo, como a atualização dos limites do Super Simples.

Na última sexta-feira, 22/09,  o Ibovespa fechou em baixa de 0,12%, a 116.008,64 pontos. Da mesma maneiram na semana, o resultado foi negativo, com perda de 2,31%. Por outro lado, no ano, o Ibovespa registra alta: 5,72%. Já o dólar fechou em queda de 0,05% em relação ao real, cotado a R$ 4,9325.

Para saber ainda mais sobre investimentos e educação financeira, não deixe de visitar o Hub de Educação da B3. Este é sobre Como Organizar as Finanças.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.