Mercado

Ibovespa cai 0,29%, mas varejistas sobem com taxa de compras no radar

Petrobras caiu e Lojas Renner esteve entre os destaques positivos com possível taxa de compras abaixo de US$ 50

Ibovespa
O Ibovespa é o principal índice de ações da B3, a Bolsa de Valores do Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

A bolsa de valores hoje registrou queda e interrompeu a sequência de duas altas seguidas na semana. O Ibovespa caiu 0,29%, fechando o pregão perto da mínima do dia na bolsa, a 126.165,64 pontos. Por enquanto, o movimento continua positivo em novembro à medida que a bolsa atingiu neste mês a máxima em mais de dois anos. No mês, o Ibovespa sobe 11,46%.

O dólar, por outro lado, firmou-se em alta nesta terça-feira. A moeda americana registrou avanço de 0,32% hoje, e foi ao valor de R$ 4,8876. A moeda foi ao patamar mais baixo desde setembro na quarta-feira, quando fechou a R$ 4,87.

Ibovespa hoje

O dia de hoje foi positivo para o setor bancário no Ibovespa. As ações de Itaú Unibanco, Banco do Brasil e Santander terminaram o pregão em alta. No setor de frigoríficos, a Marfrig teve o maior avanço do índice, com valorização de 4,63%, ocupando mais uma vez a liderança da bolsa.

Na esteira de notícias sobre a oferta para acertar a fusão com a empresa de geração de energia Eneva (ENEV3), o papel da Vibra Energia (VBBR3) teve alta de 3,16%.

O Ibovespa foi, contudo, impactado pelas baixas em Petrobras (PETR3;PETR4). A ação preferencial da petroleira estatal teve recuo de 1,04% na bolsa de valores hoje, mesmo com notícias de que a OPEC+ poderia estender o corte de produção diária de barris de petróleo em mais 1 milhão de unidades. Já a ação ordinária aprofundou queda em 1,32%.

Apesar da queda, ações de varejistas de moda tiveram forte alta nesta quarta-feira. Principal representante do setor no Ibovespa, a Lojas Renner surfou alta de 4,14%.

A ação da Vale também registrou queda, mas foi mais ligeira: o papel recuou 0,03% hoje no Ibovespa.

Dólar hoje

O dólar hoje avançou contra o real, subindo a R$ 4,8876. A moeda norte-americana acompanhou o noticiário nos Estados Unidos. Nesta quarta-feira, o presidente regional de Richmond do Federal Reserve, banco central dos EUA, chamou de “prematuro” o debate sobre cortes de juros no país.

Com a desaceleração da economia americana, o mercado financeiro estipula um corte de juros por parte do Fed. Investidores, contudo, não sabem se o corte será no início ou na metade de 2024.

O índice DXY, que mede a força do dólar contra moeda importantes como o iene e o euro, avançou 0,02%, cotado a 102,765 pontos.

Ações com maiores altas na bolsa de valores hoje

A Padtec foi premiada pelos investidores na bolsa de valores como ação com maior alta hoje. O papel da companhia de telecomunicações de Campinas subiu 10,03% no pregão, movimentando R$ 1,3 milhão nesta quarta-feira (29).

As ações de varejo foram impulsionadas pela notícia de o governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) pode taxar compras online abaixo de US$ 50.

Logo em seguida, as ações PN da fabricante de tecidos Santanense acumularam a segunda maior alta.

Confira a seguir as cinco ações com maiores altas na bolsa de valores hoje. A lista inclui apenas papéis da Bovespa que movimentaram um volume de transação igual ou superior a R$ 1 milhão, e foi atualizada às 18h30.

  1. Padtec ON (PDTC3): +10,03%
  2. Santanense PN (CTSA4): +5,66%
  3. Marfrig ON (MRFG3): +4,73%
  4. C&A Modas (CEAB3): +4,64%
  5. Guararapes (GUAR3): +4,54%

Ações em queda na bolsa de valores hoje

A ação da Gol (GOLL4) registrou a maior baixa na bolsa de valores hoje. O papel caiu 5,16% no pregão, com os papéis de ClearSale (CSLA3) e Hapvida (HAPV3) logo atrás.

Veja a seguir as cinco ações com maiores quedas na bolsa de valores nesta quarta-feira (29). A lista segue o mesmo critério do ranking de maiores altas.

  1. Gol PN (GOLL4): -5,16%
  2. ClearSale ON (CSLA3): -5,13%
  3. Hapvida ON (HAPV3): -5,12%
  4. MRV ON (MRVE3): -4,64%
  5. Log In ON (LOGN3): -4,39%

Bolsas de Nova York

As bolsas de Nova York fecharam mistas nesta quarta-feira (29) após passarem o dia próximas da estabilidade, e entrando em negativo mais para o fim do pregão, com o S&P 500 sendo puxado para baixo pelo setor de tecnologia e comunicações.

A sessão foi marcada por falas mistas de dirigentes do Federal Reserve (Fed) e pela publicação do Livro Bege, que alertou para a desaceleração da economia do país, mas fez com que a ferramenta do CME marcasse aumento nas apostas por corte de juros no ano que vem.

O índice Dow Jones subiu 0,04%, aos 35.430,82 pontos, o S&P 500 cedeu 0,09%, aos 4.550,60 pontos e o Nasdaq fechou em queda de 0,16%, aos 14.258,49 pontos.

Bolsas da Europa

Boa parte das principais bolsas europeias fechou em alta nesta quarta-feira (29) após o arrefecimento da inflação na Alemanha fortalecer a expectativa por relaxamento monetário na região. Londres, no entanto, terminou o pregão no vermelho, em parte penalizada pela volatilidade do petróleo e riscos no setor financeiro.

Em destaque, o índice DAX, referência em Frankfurt, avançou 1,09% no fechamento, a 16.166,45 pontos. Por outro lado, em Londres, o FTSE 100 recuou 0,43%, a 7.423,46 pontos. O índice CAC 40, de Paris, subiu 0,24%, a 7.267,64 pontos, enquanto o FTSE MIB, em Milão, ganhou 1,06%, a 29.688,45 pontos. Entre praças ibéricas, o PSI 20, de Lisboa, marcou valorização de 0,02%, a 6.439,50 pontos. Em Madri, o Ibex 35 aumentou 0,63%, a 10.066,40 pontos. As cotações são preliminares.

Se você quiser aprender sobre como começar a investir, este curso gratuito sobre o tema pode te ajudar: Aprenda a investir em ações!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias