Mercado

Ibovespa sobe 0,99% em fevereiro, apesar de queda no dia; dólar tem alta diária e mensal

Bolsa de valores hoje: veja o desempenho do dólar e do Ibovespa nesta quinta-feira (29)

Sede da Bolsa de Valores em São Paulo, com grande telão mostrando as cotações das ações
Sede da Bolsa de Valores em São Paulo, com telão mostrando as cotações das ações. Foto: Divulgação/B3

A bolsa de valores hoje fechou em queda. O Ibovespa perdeu o patamar simbólico de 130 mil pontos ao terminar o pregão desta quinta-feira (29) em 129.020,02 pontos, após queda de 0,87%. No mês de fevereiro, o IBOV avançou 0,99%. Porém, no ano, o desempenho é negativo: -3,85%.

No pregão do dia, os bancos ajudaram a puxar o principal índice da bolsa para baixo. Itaú (ITUB4) perdeu 2,47%, Santander (SANB11) desceu 1,38%, Bradesco (BBDC4) caiu 1,65%, Banco do Brasil (BBAS3) teve queda de 1,33%.

Dólar hoje

O dólar, por sua vez, fechou em alta discreta, de 0,05%, cotado a R$ 4,9725. No mês, o dólar avança perto de 0,40% e, no ano, sobe 2,48%.

Nesse sentido, o dólar subiu no cenário externo, com o DXY avançando 0,17%, a 104,15 pontos.

ÍndiceVariação do diaVariação do mês
IBOV-0,87%+0,99%
IDIV-0,41%+0,91%
IFIX+0,50%+0,79%
BDRX+0,90%+6,30%

Ações em alta

Veja os papéis da bolsa com as maiores altas do dia.

  • Dasa (DASA3) +9,24%
  • Neogrid (NGRD3) +7,34%
  • Plano e Plano (PLPL3) +7,20%
  • Mitre (MTRE3) +4,39%
  • C&A (CEAB3) +4,23%

Ações em baixa

  • Pão de Açúcar (PCAR3) -7,94%
  • Ambev (ABEV3) -6,47%
  • IMC (MEAL3) -6,14%
  • Intelbras (INTB3) -4,85%
  • Kepler Weber (KEPL3) -4,82%

Confira também as ações que tiveram as maiores perdas.

Bolsas mundiais: Nova York

As bolsas de Nova York fecharam em alta, com o Nasdaq marcando o maior patamar de fechamento desde 2021, diante do frenesi das ações ligadas à inteligência artificial. 

O clima veio depois que os dados de inflação nos Estados Unidos confirmaram as expectativas. Os indicadores mantiveram a perspectiva de que o Federal Reserve  (Fed, o Banco Central dos EUA) deve começar a reduzir os juros no país, provavelmente em junho, um cenário já incorporado aos preços dos ativos.

O pregão foi pontuado ainda por indicadores mistos sobre o ritmo da economia americana, enquanto falas de membros do Fed continuaram reforçando a narrativa de prudência.

O Dow Jones Industrial Average subiu 0,12%, a 38.996,39, após três sessões em queda. O S&P 500 e o Nasdaq também avançaram. O S&P 500 teve ganho de 0,52%, aos 5.096,27 pontos e o Nasdaq marcou +0,90%, fechando aos 16.091,92 pontos.

Os índices acumularam ganhos no mês de fevereiro: o Dow Jones teve alta de 2,22%, o S&P 500 de 5,17% e o Nasdaq, de 6,12%.

Europa

As bolsas europeias fecharam com direções distintas após dados de inflação nos EUA confirmarem a expectativa dos analistas e reforçarem a aposta de que um alívio monetário no país deve começar em junho.

A Bolsa de Frankfurt teve ganhos mais fortes ante os demais mercados na região, depois da desaceleração mais acentuada dos preços ao consumidor na Alemanha. Os investidores reagiram ainda a balanços fracos de algumas grandes empresas da região, como AB InBev e Air France-KLM.

O índice pan-europeu Stoxx 600 ficou estável, a 494,60 pontos. Em Londres, o FTSE 100 ganhou 0,07%, aos 7.630,02 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX avançou 0,44%, aos 17.678,19 pontos. O CAC-40, referencial da Bolsa de Paris, teve variação de -0,34%, para encerrar aos 7.927,43 pontos, na mínima do dia. Em Madri, o Ibex 35 fechou em baixa de 0,56%, a 10.012,70 pontos.

Entre os outros índices referenciais da região, o FTSE MIB, de Milão, caiu 0,11%, a 32.580,94 pontos; em Lisboa, o PSI 20 teve baixa de 0,56%, aos 6.157,96 pontos.

Ibovespa ‘derrapou na primeira curva’

Assim, observando o mercado, a análise gráfica do Itaú BBA assinada por Fábio Perina e equipe considerou que o Ibovespa “derrapou na primeira curva”. No fechamento de ontem, a bolsa de valores desvalorizou 1,16%.

“Depois de conseguir superar o patamar dos 130.600 pontos, o Ibovespa voltou a cair e não deu continuidade de subida”, descreve o relatório. “Nem tudo está perdido, mas o índice derrapou logo na primeira curva e perde um pouco o momento de subida”, continua.

Para Perina e equipe do Itaú BBA, a bolsa precisa renovar sua máxima semanal para abrir caminho em direção aos 132 mil pontos.

PCE movimento juros futuros

A curva de juros mostrou abertura na manhã desta quinta-feira (29) alinhada aos juros dos Treasuries longos, que sobem antes da divulgação do índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, a medida favorita de preços do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA).

O movimento esteve em sintonia ainda com a alta do dólar ante o real.

Bolsa de valores hoje: dados sobre emprego

Então, enquanto a bolsa busca recuperação, o dia é repleto de agendas econômicas. Uma delas já foi divulgada. A taxa de emprego ficou estável em 7,6% em janeiro, segundo dados divulgados pelo IBGE. O rendimento médio real habitual dos trabalhadores chegou a R$ 3.078 no trimestre móvel encerrado no primeiro mês do ano – alta de 1,6% no trimestre e de 3,8% no ano.

Assim, o mercado também opera hoje em compasso de espera pelos resultados do PIB do Brasil, que serão divulgados amanhã pela manhã.

Dessa maneira, os números mostram o desempenho da economia no quarto trimestre de 2023 e durante todo o ano passado. A expectativa é grande.

O mercado se divide a respeito das estimativas do PIB, conforme apontou levantamento feito pela Inteligência Financeira com 13 instituições distintas.

Gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre investimentos? Faça os cursos gratuitos no Hub de Educação Financeira da B3!

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias