Mercado

Ibovespa sobe e se aproxima dos 120 mil pontos; Dólar fecha em queda, a R$ 4,77, menor patamar em mais de 1 ano

Números melhores para a inflação e otimismo externo com o Brasil jogam mais pressão sobre BC para queda dos juros

Ibovespa
O Ibovespa é o principal índice de ações da B3, a Bolsa de Valores do Brasil

Por Redação B3 Bora Investir

Ibovespa abriu oscilando entre os campos positivo e negativo nesta segunda-feira (19), mas enveredou trajetória de alta ainda durante a manhã, com o mercado avaliando as possibilidades de uma queda de juros em semana de reunião do Copom. Inflação desacelerando e otimismo com o Brasil no mercado internacional apontam para um cenário mais propício para a queda dos juros.

No fechamento, o Ibovespa avançou 0,93%, a 119.857 pontos. O Ifnc, índice do setor financeiro, também teve alta sensível , de 1,37%, a maior entre os índices setoriais.

Já o dólar segue trajetória de queda acentuada. A moeda norte-americana recuou 0,90%, cotada a R$ 4,7761, o menor patamar desde 3 de junho.

Focus

O boletim Focus publicado nesta segunda acrescentou alguns tópicos à lista de notícias positivas. De acordo com o documento, o IPCA foi revisado para baixo, indicando inflação menor, o câmbio seguiu a mesma trajetória e a taxa básica de juros, a Selic , idem.

A taxa básica de juros, segundo o relatório, deve ficar em 12,25% – trata-se de queda na perspectiva trazida pelo banco na semana anterior, quando a Selic marcava 12,50%, com um Selic abaixo de 9,5% em 2024.

O IPCA, a inflação oficial do País medida pelo IBGE, deve ser de 5,12% no ano, segundo o relatório divulgado nesta segunda-feira – esse porcentual era de 5,42% na semana passada e de 5,80% há quatro semanas. 

Reunião do Copom

O mercado aguarda definição sobre a política monetária do Banco Central após reunião do Copom, que começa na tarde de terça-feira e é concluída na quarta, quando é apresentada a decisão sobre a Selic.

Os indicadores macroeconômicos animaram os investidores de ativos de risco, com o aumento da possibilidade de ao menos uma sinalização a respeito da queda dos juros.

Além disso, a pressão do empresariado e uma mudança de tom da agência de risco S&P, que elevou para positiva pela primeira vez desde o final de 2019 a perspectiva de nota do Brasil, colocam mais pressão sobre o Banco Central para que a política de juros comece a ser afrouxada, ainda que apenas na sinalização.

Ações do Ibovespa

As ações do setor aéreo continua, se destacando, embora tenham perdido fôlego em relação ao começo do pregão. A Embraer (EMBR3) subiu 0,35%. A Gol (GOLL4) avança 2,73% e a Azul (AZUL4), 3,93%, a maior alta do Ibovespa.

Ibovespa B3: veja curiosidades sobre o índice que completa 55 anos

As empresas do setor têm passado por um movimento consistente de valorização desde a decisão do Senado de aprovar a extensão da isenção de PIS/Cofins até 2026 para as aéreas.

CVC é a pior

As ações da CVC tiveram forte desvalorização no dia, no sentido contrário ao das aéreas, que geralmente ajudam a alavancar os papéis da empresa de turismo e viagens. Porém, nesta segunda, a CVC sofre com especulações relacionadas ao seu preço-base em um aumento de capital. Segundo o Broadcast, o preço-base pode chegar a R$ 2,80, contra os R$ 4,50 registrados no fechamento de sexta.

Com isso, os papéis desceram 5,11%, a R$ 4,27.

Quer entender o que é macroeconomia e como ela afeta seu bolso? Acesse o curso gratuito Introdução à Macroeconomia, no Hub de Educação da B3.

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias