Mercado

Mercado: decisão sobre combustíveis e novo diretor do BC entram no foco do investidor

Semana começa com a divulgação do IGP-M, Boletim Focus e o resultado primário do Governo Central

Fachada B3.
Fachada da B3: veja como a bolsa funcionará nos feriados ao longo do ano

A semana começa com a divulgação do IGP-M, Boletim Focus e o resultado primário do Governo Central.

Além disso, o governador do Estado de São Paulo, Tarcísio de Freitas, assina decretos que reduzem a carga tributária de vários segmentos do setor produtivo paulista até 31 de dezembro de 2024.

O mercado monitora a escolha do substituto de Bruno Serra na diretora de Política Monetária do BC, enquanto o ministro da Fazenda, Fernando Haddad tem como prioridade resolver o impasse em torno da possibilidade de reoneração da gasolina e do diesel.

Nos EUA, serão divulgadas as encomendas de bens duráveis e vendas pendentes de imóveis. Também será anunciado um discurso do membro do Conselho do Fed, Philip Jefferson.

Veja abaixo os horários de divulgação dos indicadores aqui e lá fora:

  • 10h30 – Encomendas de Bens Duráveis (janeiro)
  • 12h00 – Vendas Pendentes de Moradias (janeiro)
  • 12h30 – Discurso de Philip Jefferson (Conselho do Fed)
  • 14h30 – Resultado Primário do Governo Central – Tesouro

Agenda da semana

Nos próximos dias, o destaque no Brasil será a nota do setor público consolidado e o Produto Interno Bruto (PIB do 4º trimestre).

Lá fora será anunciado o índice de preços ao consumidor da zona do euro, a ata do Banco Central Europeu (BCE) e índices de compras (PMI) na Europa, EUA e Brasil.

Otimismo lá fora

As bolsas europeias e os índices futuros de Nova York tentam se recuperar após queda acentuada dos ativos na semana anterior, que foi marcada como a pior do ano para Wall Street.

A desvalorização foi causada por dados da inflação PCE dos EUA acima do esperado. Em conjunto à ata do FOMC levaram a um ajuste das apostas para cima sobre o quão agressivo o Federal Reserve (Fed, o BC americano) terá de elevar juros para desacelerar a economia e conter a alta dos preços. Agora, os mercados estão reprecificando as taxas de juros americanas para o pico de 5,4% este ano, segundo relatório da corretora Guide.

As bolsas europeias seguiram em alta mesmo após o índice de sentimento econômico da zona do euro, que mede a confiança de setores corporativos e dos consumidores, ter recuado marginalmente entre janeiro e fevereiro, de 99,8 para 99,7 pontos, frustrando a expectativa de analistas.

Alta do petróleo deve impulsionar Ibovespa

A melhora do humor nas bolsas internacionais e alta do petróleo devem ajudar a impulsionar o Ibovespa nesta segunda-feira, 27/02.

Já o dólar mais forte ante a maioria das moedas emergentes e ligadas a commodities possa ser influência positiva para o real, mas de pressão na curva de juros, em meio ao avanço dos rendimentos dos títulos do Tesouro.

Nos juros, uma nova rodada de piora das expectativas no Boletim Focus pode também trazer pressão de alta.

O mercado monitora ainda a escolha do substituto de Bruno Serra na diretora de Política Monetária do BC. O governo de Luiz Inácio Lula da Silva estaria cogitando cogita os nomes de Luiz Awazu Pereira da Silva e Tony Volpon, ex-diretores do Banco Central no governo Dilma Rousseff, segundo a Folha de S.Paulo.

No momento, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, terá como prioridade resolver o impasse em torno da possibilidade de reoneração da gasolina e do diesel. Haddad defende a reoneração e, por tabela, o presidente da Petrobras, o também petista Jean Paul Prates.

A decisão está com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na avaliação do banco Citi, as incertezas sobre o tema são o principal ponto de dúvida para o comportamento da inflação no futuro.

*Com informações da Agência Estado