Mercado

Mercado hoje: decisão sobre juros na Europa é destaque do dia

Decisão será anunciada após o Federal Reserve dos EUA subir juros e indicar uma pausa no ciclo de aperto no país e o Copom manter a taxa em 13,75% ao ano

Fachada da B3.
Fachada da B3: nos EUA, impasse sobre elevação do teto da dívida é monitorado

Por Redação B3 Bora Investir

Os mercados focam nesta quinta-feira, 4/5, na decisão de juros do Banco Central Europeu (BCE) e na entrevista da presidente da instituição, Christine Lagarde, em meio a dúvidas sobre alta de 25 pontos-base ou 50 pontos-base.

A decisão será anunciada após o Federal Reserve dos EUA subir juros e indicar uma pausa no ciclo de aperto no país.

Os investidores devem mirar também em dados de emprego e de comércio norte-americanos, além de PMIs mundial e do Brasil. Também aguardam o relatório oficial do mercado de trabalho dos EUA (payroll) de abril, que será divulgado amanhã.

Balanços de uma série de empresas e bancos, como Apple, Bradesco, Eletrobras, também devem movimentar os negócios nas Bolsas.

No exterior

Antes da decisão e sinais do BCE, investidores na Europa repercutem balanços trimestrais de grandes empresas como AB InBev e Shell.

Também digerem os dados de atividade (PMIs) de serviços que avançaram de modo geral no Velho Continente: os indicadores ficaram acima das expectativas na Alemanha e Reino Unido e abaixo do esperado na zona do euro.

Na Ásia, a bolsa chinesa de Xangai subiu na volta de um feriado de três dias. O movimento acontece apesar da queda do PMI industrial da China para 49,5 abril, indicando que a manufatura da segunda maior economia do mundo voltou a se contrair depois de se estabilizar em março.

No Brasil

O sentimento de cautela internacional deve pesar na abertura do mercado local em meio aos ajustes pós-Copom e à espera pelo BCE. O Ibovespa pode oscilar em meio à repercussão de balanços, enquanto uma ligeira queda do dólar ante moedas rivais e várias emergentes ligadas a commodities pode apoiar algum alívio à taxa de câmbio.

Sem observar uma queda consistente da inflação, o Banco Central resistiu às renovadas pressões do governo e manteve a taxa Selic em 13,75% ao ano pela sexta vez seguida ontem, como era amplamente esperado pelo mercado financeiro. O comitê indicou que o juro básico do país não vai cair enquanto não houver a convergência da inflação para o redor da meta ao longo do horizonte relevante, que inclui o ano de 2024.

+ Queda da Selic à vista? É hora de investir no Tesouro Prefixado?

Deve ser bem recebida na Bolsa a aprovação na Câmara dos Deputados, por 295 votos a 136, do projeto que susta parte dos decretos que alteram as regras de saneamento. O projeto foi editado pelo governo Lula no início de abril. Agora, a matéria segue para votação no Senado.

Em relação ao arcabouço fiscal, o relator e deputado Cláudio Cajado (PP-BA) afirmou que há uma expectativa de que o relatório da matéria seja apresentado até a próxima quarta-feira, 10. Mas o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse que a votação da proposta fiscal deve ficar para daqui a duas semanas, quando ele já tiver retornado da viagem que fará ao Japão, para o encontro do G7, e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), voltar dos Estados Unidos.

*Com informações da Agência Estado

Como funciona uma bolsa de valores? Veja nesta curso oferecido pela B3

Sobre nós

O Bora Investir é um site de educação financeira idealizado pela B3, a Bolsa do Brasil. Além de notícias sobre o mercado financeiro, também traz conteúdos para quem deseja aprender como funcionam as diversas modalidades de investimentos disponíveis no mercado atualmente.

Feitas por uma redação composta por especialistas em finanças, as matérias do Bora Investir te conduzem a um aprendizado sólido e confiável. O site também conta com artigos feitos por parceiros experientes de outras instituições financeiras, com conteúdos que ampliam os conhecimentos e contribuem para a formação financeira de todos os brasileiros.

Últimas notícias